Política

Dona de agência acerta delação premiada que pode atingir governo de Minas Gerais

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, a publicitária Danielle Fonteles, dona da agência de comunicação Pepper Interativa, fechou colaboração premiada com a Procuradoria-Geral da República na Operação Acrônimo, que apura a suspeita de um esquema de desvio de dinheiro público para campanhas políticas do PT. [Leia mais...]

[Dona de agência acerta delação premiada que pode atingir governo de Minas Gerais]
Foto : Antonio Cruz/ Agência Brasil

Por Matheus Morais no dia 28 de Março de 2016 ⋅ 09:01

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, a publicitária Danielle Fonteles, dona da agência de comunicação Pepper Interativa, fechou colaboração premiada com a Procuradoria-Geral da República na Operação Acrônimo, que apura a suspeita de um esquema de desvio de dinheiro público para campanhas políticas do PT. A agência começou a trabalhar para o PT em 2010, produzindo conteúdos para a internet. De acordo com a publicação, Danielle fez um acerto com investigadores, implicar o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT) e Benedito Rodrigues Oliveira Neto, o Bené, empresário e amigo do petista. Os dois já estão sendo investigados.

A delação deve alcançar a campanha da presidente Dilma Rousseff. Suspeita-se que a Pepper tenha sido utilizada para repassar dinheiro dos cofres públicos e de campanhas eleitorais para políticos e agentes públicos. Os investigadores acreditam que a Pepper poderia explicar o uso de dinheiro em campanhas do PT, que teria sido desembolsadopor empreiteiras, que estão na Operação Lava Jato, acusadas de participação no cartel que atuou no esquema de corrupção da Petrobras, como a Andrade Gutierrez e a OAS.

Notícias relacionadas

[Bruno Reis volta a elogiar Prates e nega conflitos]
Política

Bruno Reis volta a elogiar Prates e nega conflitos

Por João Brandão e Juliana Rodrigues no dia 11 de Dezembro de 2019 ⋅ 15:52 em Política

Vice-prefeito ironizou a possibilidade de Prates passar a integrar a base do governador Rui Costa (PT): "Só rindo, né?"