Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Quinta-feira, 23 de maio de 2024

Home

/

Notícias

/

Política

/

PF vai aos EUA para investigação de venda de joias por Bolsonaro e conclusão do inquérito

Política

PF vai aos EUA para investigação de venda de joias por Bolsonaro e conclusão do inquérito

Viagem de delegado acompanhado por um agente está marcada para o dia 25 deste mês

PF vai aos EUA para investigação de venda de joias por Bolsonaro e conclusão do inquérito

Foto: Carolina Antunes/PR | Reprodução

Por: Metro1 no dia 16 de abril de 2024 às 08:50

A Polícia Federal (PF) vai enviar uma equipe aos Estados Unidos, no dia 25 deste mês, para aprofundar as investigações que envolvem o ex-presidente Jair Bolsonaro e seus aliados, como o ex-ajudante de ordens Mauro Cid, na venda de joias do acervo da Presidência da República.

Os agentes foram autorizados a fazer diligências para concluir investigação sobre a venda dos itens valiosos no exterior. A equipe será formada por um delegado e um agente. Apenas depois desta etapa a investigação brasileira será concluída.

O roteiro de investigação da PF incluiu passagem pelas cidades de Miami (Flórida), Wilson Grove (Pensilvânia) e Nova Iorque (NY).  Entre as ações previstas está a tomada de depoimentos dos comerciantes das lojas onde foram vendidas e recompradas as joias.

Desde 2023, após pedido de cooperação internacional formalizado pela PF ao governo dos EUA, o FBI - a polícia federal dos EUA - começou a colaborar com as investigações. O acordo tem o nome de Mutual Legal Assistance Treaties.

O ex-presidente Jair Bolsonaro ganhou joias e presentes no exercício do mandato, e investigações da PF mostram que os itens começaram a ser negociados nos EUA em junho de 2022. Entre elas estava um kit de joias composto por um relógio da marca Rolex de ouro branco, um anel, abotoaduras e um rosário islâmico entregue a Bolsonaro em uma viagem oficial à Arábia Saudita em outubro de 2019.

Em agosto do ano passado, Bolsonaro e Michelle Bolsonaro - ex-primeira dama - foram intimados a comparecer à PF para serem ouvidos simultaneamente sobre o caso, mas decidiram silenciar.