Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Segunda-feira, 27 de maio de 2024

Home

/

Notícias

/

Política

/

Suspeito de mandar matar Marielle, Chiquinho Brazão ainda recebe salário de quase R$42 mil

Política

Suspeito de mandar matar Marielle, Chiquinho Brazão ainda recebe salário de quase R$42 mil

Até março, o salário do deputado era de R$ 39.293, tendo sido reajustado para R$ 41.650 em abril; Chiquinho deverá receber este valor até o final do ano

Suspeito de mandar matar Marielle, Chiquinho Brazão ainda recebe salário de quase R$42 mil

Foto: Agência Câmara

Por: Metro1 no dia 21 de abril de 2024 às 16:41

O deputado federal Chiquinho Brazão (Sem partido-RJ), preso em março,  suspeito de mandar matar a vereadora Marielle Franco, continua recebendo salário bruto de quase R$42 mil, conforme informações do portal de transparência. O valor recebido por Chiquinho foi, inclusive, aumentado em abril. Até março, o salário do deputado era de R$ 39.293, tendo sido reajustado para R$ 41.650. A previsão é de que ele passe a receber este valor regularmente até o final do ano.

Apesar do Ministério Público ter solicitado a suspensão do salário dele enquanto estivesse na prisão, o pedido foi arquivado pelo Tribunal de Contas da União (TCU). O subprocurador do MP, Lucas Furtado defendeu que, em razão da prisão, o deputado não exerce o mandato e, sendo assim, não deveria mais receber os salários e devolver os que foram pagos depois de preso. Já o TCU, arquivou a solicitação com a justificativa de que ela não atendia “requisitos de admissibilidade”.
 
Por ser deputado federal, o pedido de prisão de Chiquinho Brazão foi votado na Câmara dos Deputados, que decidiu mantê-lo preso. Segundo a Secretaria-Geral de Controle Externo do TCU, não há elementos suficientes para “inferir prática de qualquer ilicitude cometida pelos gestores da Câmara dos Deputados. Considerando existir até então curto prazo de tempo entre a prisão do parlamentar e eventuais e futuros cálculos referentes a acertos financeiros e/ou suspensão de pagamento, cuja responsabilidade é da área de pessoal daquela Casa parlamentar”.