Política

Ex-governador deve assumir presidência da Fundação Luís Eduardo Magalhães

O futuro e carreira política do ex-ministro do governo Dilma Rousseff, Jaques Wagner (PT), foi comentado durante o Jornal da Bahia no Ar, na Rádio Metrópole, nesta sexta-feira (2). Após a entrevista, Mário Kertész revelou que o petista deve assumir a presidência da Fundação Luís Eduardo Magalhães (FLEM) no começo da próxima semana. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Tácio Moreira / Metropress

Por Camila Tíssia e Gabriel Nascimento no dia 02 de Setembro de 2016 ⋅ 09:56

O futuro e carreira política do ex-ministro do governo Dilma Rousseff, Jaques Wagner (PT), foi comentado durante o Jornal da Bahia no Ar, na Rádio Metrópole, nesta sexta-feira (2). Após a entrevista, Mário Kertész revelou que o petista deve assumir a presidência da Fundação Luís Eduardo Magalhães (FLEM) no começo da próxima semana.

"Acho que ele vai assumir. É um cargo bom, fica na estrutura do estado, mas sem estar tão ligado. Nem ele [Wagner] vai encher o saco do governador [Rui Costa], nem o governador vai encher o saco dele. Vão continuar amigos", disse MK.

Após o afastamento de Dilma em maio, o nome de Wagner chegou a ser cogitado para assumir uma das pastas do governo estadual ao lado de Rui Costa. Hoje, o ex-governador da Bahia negou que vai assumir uma secretaria no estado, e adiantou que primeiro vai se dedicar às candidaturas municipais apoiadas pelo partido

Notícias relacionadas

[Doria responde suposta sex tape: 'Fake news']
Política

Doria responde suposta sex tape: 'Fake news'

Por Marina Hortélio no dia 23 de Outubro de 2018 ⋅ 17:57 em Política

Ao lado da esposa, o ex-prefeito de São Paulo lamentou o vídeo, que atribuiu à voracidade da campanha pelo estado

[Temer busca aproximação com Bolsonaro]
Política

Temer busca aproximação com Bolsonaro

Por Marina Hortélio no dia 23 de Outubro de 2018 ⋅ 16:00 em Política

Presidente e os aliados pretendem estreitar os laços com o presidenciável do PSL à procura de uma "saída honrosa" para o atual governo