Política

Sem citar lista de Fachin, Michel Temer diz que governo não pode parar

Sem se referir à divulgação de nomes de ministros e parlamentares que estariam envolvidos com a Operação Lava Jato, o presidente Michel Temer disse nesta quarta-feira (12) que o governo não pode parar. Na oportunidade, ele sancionou leis favoráveis às mulheres, que o governo não pode parar.[Leia mais...]

[Sem citar lista de Fachin, Michel Temer diz que governo não pode parar ]
Foto : Beto Barata/PR

Por Matheus Morais no dia 12 de Abril de 2017 ⋅ 12:08

Sem se referir à divulgação de nomes de ministros e parlamentares que estariam envolvidos com a Operação Lava Jato, o presidente Michel Temer disse nesta quarta-feira (12) que o governo não pode parar. Na oportunidade, ele sancionou leis favoráveis às mulheres, que o governo não pode parar. A declaração foi dada sem se referir diretamente à divulgação de nomes de ministros e parlamentares que estariam envolvidos com a Operação Lava Jato.

Um das leis sancionadas nesta quarta-feira é a da proibição do uso de algemas em mulheres durante ou no período pós-parto. Também foi instituído o mês de agosto como do aleitamento materno e a garantia de acompanhamento da mãe sobre a amamentação. Um decreto garantiu um indulto especial a mulheres presas no Dia das Mães.

“Aqui no Brasil, se não tomarmos cuidado, daqui a pouco achamos que o Executivo não opera, o Legislativo não opera, o Judiciário não opera. E não é assim. Quando nós criamos a repartição dos órgãos do governo foi precisamente para dar agilidade a toda a atividade pública. Cada um cumpre o seu papel”, ressaltou.

Temer disse ainda que seu governo tem “apoio especialíssimo” do Congresso Nacional. “Quero muito ressaltar sempre que o Executivo só funciona porque tem apoio do Congresso. Evidentemente nas eventuais divergências ou interpretações equivocadas, quem vai dar a palavra é o Judiciário. É isso que temos que prestigiar cada vez mais”, afirmou.

“Portanto, não podemos jamais paralisar o governo. Temos que dar sequência ao governo, dar sequencia à atividade legislativa, dar sequencia à atividade judiciária. E nesse particular, em todos os poderes, está presente a mulher. É fundamental para o desenvolvimento no país”, disse.

Notícias relacionadas