Política

Lula sobre delação de Odebrecht: 'No dia que provar algo, paro com a política'

Ex-presidente do Brasil e possível candidato nas eleições de 2018, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi entrevistado por Mário Kertész, na Rádio Metrópole, na manhã desta quinta-feira (13), e comentou a delação do empresário Marcelo Odebrecht. Cobrando a apresentação de provas concretas, o petista disse estar 'tranquilo' [Leia mais...]

[Lula sobre delação de Odebrecht: 'No dia que provar algo, paro com a política' ]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Gabriel Nascimento e Matheus Morais no dia 13 de Abril de 2017 ⋅ 08:11

Ex-presidente do Brasil e possível candidato nas eleições de 2018, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi entrevistado por Mário Kertész, na Rádio Metrópole, na manhã desta quinta-feira (13), e comentou a delação do empresário Marcelo Odebrecht.

Cobrando a apresentação de provas concretas, o petista disse estar 'tranquilo'. 'Com cada depoimento eu fico abismado. Eu vou prestar um depoimento no dia 3 de maio e vou responder com tranquilidade. A delação de Marcelo Odebrecht foi um absurdo. Ele deve estar comendo o pão que o diabo amassou', afirmou. 'Deve tá criando condições para sair da cadeia. É inverossímil. Não vou rir, nem chorar. Vou estudar com advogados, a delação tem que ser provada. A pessoa tem que provar!', acrescentou.

O ex-presidente voltou a desafiar empresários. 'Qualquer empresário que disser que o Lula pediu R$ 10 a ele. Eu sei o que está em jogo. Vou me preparar para o meu depoimento. Vou continuar fazendo política. O dia que alguém provar um erro meu, eu paro com a política. Isso me fortalece porque as acusações são muito descabidas. Eu vi um cidadão dizer que a Odebrecth dava R$ 5 mil.para meu irmão Frei Chico. Se a Odebrecht dava para o irmão, é problema da Odebrecht, o que eu tenho a ver com isso? Ele é quatro anos mais velho que eu, me introduziu na política, no sindicato em 1968, ou seja, eu nunca dei R$ 1 para meu irmão porque ele nunca precisou e porque ele nunca pediu para mim. O meu filho estava metido no futebol americano e tinha patrocínio, qual o crime? Eu fui encriminado por um apartamento que não é meu, sou acusado da reforma de um sitío em Atibaia que não é meu, o sítio tem dono, tá no cartório e tudo. Mas, como eles contaram uma mentira, agora não tem como sair dela', disse. 

 


 

Notícias relacionadas

[Eduardo Bolsonaro desiste da embaixada nos EUA]
Política

Eduardo Bolsonaro desiste da embaixada nos EUA

Por Juliana Almirante no dia 23 de Outubro de 2019 ⋅ 07:40 em Política

No entanto, o terceiro filho do presidente negou que a conquista da liderança do PSL na Câmara Federal tenha sido o fator determinante para a decisão