Política

Eliana Calmon aponta conivência do Judiciário com corrupção: 'Muita coisa virá à tona'

A ministra aposentada do Superior Tribunal de Justiça (STF) Eliana Calmon conversou com o apresentador José Eduardo nesta terça-feira (18), durante o Jornal da Bahia no Ar, da Rádio Metrópole, e falou sobre o depoimento que ela deu à Folha de S. Paulo, onde falou que a Operação Lava Jato também irá afetar o Poder Judiciário. [Leia mais...]

[Eliana Calmon aponta conivência do Judiciário com corrupção: 'Muita coisa virá à tona']
Foto : Valter Campanato/Agência Brasil

Por Jessica Galvão e Matheus Morais no dia 18 de Abril de 2017 ⋅ 09:27

A ministra aposentada do Superior Tribunal de Justiça (STF) Eliana Calmon conversou com o apresentador José Eduardo nesta terça-feira (18), durante o Jornal da Bahia no Ar, da Rádio Metrópole, e falou sobre o depoimento que ela deu à Folha de S. Paulo, onde falou que a Operação Lava Jato também irá afetar o Poder Judiciário.

'A empresa Odebrecht passou mais de 30 anos fazendo esses absurdos todos que estão aí, será que nada disso passou pelo Judiciário? O Judiciário teve uma participação muito forte em tudo isso que está acontecendo. Conforme a Constituição de 1988 não se pode fazer nada sem a deliberação do poder judiciário. Os 'Sérgios Moros' da vida surgem de mentirinha. Tudo passou pelo Judiciário, então, muita coisa virá a tona dessa conivência de mais um poder que se alia a esse lixo que está exposto. As empresas foram sendo comparadas pela Odebrecht, quem fazia oposição foi sendo quebrada e isso foi passando pelo judiciário de uma forma incólume, sem ninguém ter visto', disse.

 

Notícias relacionadas