Política

Coronel destaca independência como sua principal marca a frente da Assembleia

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Ângelo Coronel (PSD), esteve nos estúdios da Rádio Metrópole nesta quarta-feira (19), e durante o Jornal da Bahia no Ar, conversou com Mário Kertész sobre a nova gestão na Casa. [Leia mais...]

[Coronel destaca independência como sua principal marca a frente da Assembleia]
Foto : Tácio Moreira/Metropress

Por Jessica Galvão e Matheus Morais no dia 19 de Abril de 2017 ⋅ 09:09

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Ângelo Coronel (PSD), esteve nos estúdios da Rádio Metrópole nesta quarta-feira (19), e durante o Jornal da Bahia no Ar, conversou com Mário Kertész sobre a nova gestão na Casa.

'Nosso slogan é novos tempos, novas atitudes. Você sucede uma administração de 10 anos e nós com nossa equipe conseguimos fazer mudanças na Casa. Entramos para gerar um novo tempo e novas atitudes. O mais importante foi a gente resgatar a vontade dos parlamentares de ser um poder independente. A marca da gestão é a indepêndencia. Sou da base de Rui, mas temos que transformar a Casa em independente e o resgate da independência foi a coisa mais importante, temos o apoio da maioria esmagadora da Casa', disse Coronel.

Segundo o presidente da Alba, ele quer independência na Assembleia. 'Tive várias vezes com o governador e eu não vejo porque ele ir contra esse modo de governar a Casa. Eu tenho certeza que o governador quer ter os parlamentares sob o controle. O povo não quer ver a assembleia como a extensão do palácio. Não tomei nenhuma decisão sozinho, sempre submeto a um colegiado e eu, lá acabei com decisões monocráticas, mas nunca perguntei ao governador se ele esta satisfeito com minha gestão. Mas não vou abrir mão da independência', completou.

Na ocasião, Coronel ainda falou sobre o fim de reeleição na Casa. 'Nós conseguimos por unanimidade acabar com o fim da reeleição no mesmo mandato. A própria sociedade baiana não quer mais isso. Quando você renova, não só os parlamentares ganham. Meu pai dizia que eu era muito fechado, brigão, ele disse que eu parecia um coronel. Sou conhecido como Coronel, isso pegou e vou morrer com ele. Tento até botar o Ângelo na frente para não confundirem com a patente de coronel', contou.

Notícias relacionadas