Política

Cármen Lúcia pede "investigação imediata" sobre menção de delatores da JBS ao STF

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), a ministra Cármen Lúcia, afirmou, nesta terça-feira (5), em vídeo publicado nas redes sociais, que pediu a “investigação imediata com previsão de data para início e conclusão dos trabalhos", à menções feitas pelos delatores Joesley Batista e Ricardo Saud, empresários da JBS, a membros da Corte.[Leia mais...]

[Cármen Lúcia pede
Foto : José Cruz/ Agência Brasil

Por Paloma Morais no dia 05 de Setembro de 2017 ⋅ 19:58

A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), a ministra Cármen Lúcia, afirmou, nesta terça-feira (5), em vídeo publicado nas redes sociais, que pediu a “investigação imediata com previsão de data para início e conclusão dos trabalhos", à menções feitas pelos delatores Joesley Batista e Ricardo Saud, empresários da JBS, a membros da Corte.“Agride-se, de maneira inédita na história do país, a dignidade institucional deste Supremo Tribunal Federal e a honorabilidade de seus integrantes”, disse a ministra, no pronunciamento.

Cármen Lúcia ainda pediu “prioridade e presteza” para uma apuração “clara, profunda e definitiva das alegações, em respeito ao direito dos cidadãos brasileiros a um Judiciário honrado”. A investigação, de acordo com ela, objetiva não deixar “qualquer sombra de dúvida sobre a dignidade deste Supremo Tribunal Federal e a honorabilidade de seus integrantes”.

Como complemento à delação premiada, foi entregue, na última quinta (1º), uma gravação onde Joesley e Saud conversam sobre ministros do STF. Na conversa ocorrida em março deste ano, eles contam sobre as negociações referentes a fechamentos de colaboração premiada. Em nota, os empresários negaram terem provas contra ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), como sugerem os áudios entregues à Procuradoria da República (PGR). "Não temos conhecimento de nenhum ato ilícito cometido por nenhuma dessas autoridades. O que nós falamos não é verdade, pedimos as mais sinceras desculpas por este ato desrespeitoso e vergonhoso", diz trecho da nota.

Confira o vídeo:

 

Notícias relacionadas