Política

Leitura da nova denúncia contra Temer na Câmara é adiada pela segunda vez por falta de quórum

A Câmara dos Deputados adiou, pela segunda vez, nesta segunda-feira (25), a leitura da nova denúncia contra o presidente Michel Temer oferecida pela Procuradoria Geral da República, por falta de quórum. A sessão estava marcada para acontecer às 14h, porém, após 30 minutos só compareceram 23 deputados, dos quais apenas nove estavam presentes no plenário. [Leia mais...]

[Leitura da nova denúncia contra Temer na Câmara é adiada pela segunda vez por falta de quórum]
Foto : Agência Brasil

Por Paloma Morais no dia 25 de Setembro de 2017 ⋅ 15:33

A Câmara dos Deputados adiou, pela segunda vez, nesta segunda-feira (25), a leitura da nova denúncia contra o presidente Michel Temer oferecida pela Procuradoria Geral da República, por falta de quórum. A sessão estava marcada para acontecer às 14h, porém, após 30 minutos só compareceram 23 deputados, dos quais apenas nove estavam presentes no plenário. Para a abertura da sessão de plenário eram necessários a presença de ao menos 51 deputados dos 513. O procedimento da leitura é uma das etapas necessárias para que a pauta seja votada. Uma nova sessão foi agendada para a manhã desta terça-feira (26).

Temer foi denunciado ao Supremo Tribunal Federal (STF) sob a suspeita de ter praticado os crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça. A denúncia só segue para análise do STF com a autorização da Câmara dos Deputados. São necessários os votos de pelo menos 2/3 dos deputados para que isso aconteça. A acusação chegou à Câmara na última quinta (21) e a previsão é que a votação aconteça em outubro, conforme anunciou o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). 

Notícias relacionadas

['Bolsonaro atira pelas costas nos seus soldados', diz Bebianno]
Política

'Bolsonaro atira pelas costas nos seus soldados', diz Bebianno

Por Juliana Rodrigues no dia 19 de Agosto de 2019 ⋅ 12:20 em Política

Em entrevista ao Estadão, ex-ministro também disse acreditar que indicação de Eduardo Bolsonaro como embaixador serve para atender a um "capricho" do filho do presidente