Política

Fachin determina prisão domiciliar de assessor de Lúcio Vieira Lima

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a prisão domiciliar do assessor parlamentar do deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), Job Ribeiro Brandão. Ele também foi impedido de ter acesso a telefones e internet, o que implica no impedimento do exercício de qualquer função pública. [Leia mais...]

[Fachin determina prisão domiciliar de assessor de Lúcio Vieira Lima]
Foto : Gustavo Lima/Agência Câmara

Por Matheus Simoni no dia 20 de Outubro de 2017 ⋅ 15:46

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a prisão domiciliar do assessor parlamentar do deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), Job Ribeiro Brandão. Ele também foi impedido de ter acesso a telefones e internet, o que implica no impedimento do exercício de qualquer função pública. Fachin determinou que ele Brandão não tenha contato, por qualquer meio de comunicação, com demais indiciados, denunciados ou investigados e respectivos familiares.

Na decisão do ministro, divulgada na última terça-feira (17), Job terá as mesmas medidas cautelares impostas a Gustavo Ferraz, ex-diretor-geral da Defesa Civil de Salvador (Codesal), inclusive a prisão domiciliar.

Job Ribeiro Brandão foi alvo de mandado de busca e apreensão na última segunda-feira (16), após a Polícia Federal identificar digitais dele no apartamento em que estavam escondidos os R$ 51 milhões e até em parte do dinheiro, guardados na Graça. Nas malas e caixas de papelão com o dinheiro, também foram encontradas digitais do ex-ministro Geddel Vieira Lima e de Gustavo Ferraz.

A prisão domiciliar de Job Brandão foi pedida ao STF pela Procuradora-Geral da República, \"diante do material cognitivo indiciário que revela a sua participação nos moldes em que se deu a do investigado Gustavo Pedreira do Couto Ferraz, ou seja, em momento anterior à ocultação do numerário em imóvel cuja utilização foi autorizada em favor de Geddel Quadros Vieira Lima\".

Notícias relacionadas

[Lava Jato: 64ª fase mira André Esteves]
Política

Lava Jato: 64ª fase mira André Esteves

Por Alexandre Galvão no dia 23 de Agosto de 2019 ⋅ 08:32 em Política

Um dos alvos seria o banqueiro e dono do BTG, André Esteves. A casa e a sede do banco de Esteves são alvos de busca e apreensão