Política

"O problema do Brasil é a elite econômica dele", analisa escritor e sociólogo

Sociólogo e escritor, Jessé de Souza conversou com Mário Kertész, na Rádio Metrópole, na manhã desta quarta-feira (8), sobre o seu livro "A elite do atraso: da escravidão à Lava Jato". A obra, lançada no início de outubro, trata de questões políticas e econômicas e tenta mostrar que a corrupção não é o principal problema do país. [Leia mais...]

[
Foto : Divulgação

Por Gabriel Nascimento e Matheus Morais no dia 08 de Novembro de 2017 ⋅ 09:19

Sociólogo e escritor, Jessé de Souza conversou com Mário Kertész, na Rádio Metrópole, na manhã desta quarta-feira (8), sobre o seu livro "A elite do atraso: da escravidão à Lava Jato". A obra, lançada no início de outubro, trata de questões políticas e econômicas e tenta mostrar que a corrupção não é o principal problema do país. "A nossa elite é a do saque da rapina. Vendem nosso petróleo, nossa água. O problema do Brasil é a elite econômica dele", disse.

"Na sociedade moderna, a fonte do poder real está no mercado. O mercado tem a ver com o controle sobre preços, juros e etc. Conversei com os melhores especialistas sobre divida pública. A dívida pública é onde está a corrupção. As pessoas acham que a dívida pública do Brasil é muito grande e quem fica com dinheiro da dívida são os bancos. Ninguém fala disso", acrescentou.

O escritor classificou o funcionamento da sociedade como "complexo" e disse ainda que a Operação Lava Jato "vai dar em nada". "Os ricos não pagam impostos. O mercado brasileiro comprou a imprensa, comprou a política. Aposto com quem quiser que a Lava Jato não vai dar em nada. Ela nasceu para derrubar o PT, para derrubar um governo legitimamente eleito. O sistema político entre nós foi montado para ser corrupto. Todos os partidos são comprados em alguma medida", concluiu.

Notícias relacionadas

[Bolsonaro quer iniciar 2020 com reforma ministerial]
Política

Bolsonaro quer iniciar 2020 com reforma ministerial

Por Juliana Rodrigues no dia 14 de Dezembro de 2019 ⋅ 14:28 em Política

Titulares das pastas da Educação, Casa Civil e Minas e Energia devem ser substituídos, segundo interlocutores do governo