Política

Otto diz que não vai "linchar" prefeitos, mas promete medidas caso culpa seja comprovada

O senador e presidente do PSD na Bahia, Otto Alencar, foi entrevistado por José Eduardo, na Rádio Metrópole, na manhã desta quinta-feira (9), e novamente se posicionou sobre os três prefeitos, membros do partido e alvos de uma operação da Polícia Federal (PF) contra fraudes em contratos dos municípios. [Leia mais...]

[Otto diz que não vai
Foto : Divulgação

Por Gabriel Nascimento e Matheus Morais no dia 09 de Novembro de 2017 ⋅ 09:42

O senador e presidente do PSD na Bahia, Otto Alencar, foi entrevistado por José Eduardo, na Rádio Metrópole, na manhã desta quinta-feira (9), e novamente se posicionou sobre os três prefeitos, membros do partido e alvos de uma operação da Polícia Federal (PF) contra fraudes em contratos dos municípios. A ação foi deflagrada na última terça-feira (7) contra Claudia Oliveira, de Porto Seguro, José Robério Batista de Oliveira, de Eunápolis, e Agnelo Santos, de Santa Cruz Cabrália. "Eu não tenho compromisso com irregularidade, mas não posso fazer linchamento, julgar antes", declarou.

"Conheço bem eles, os três prefeitos. O de Santa Cruz Cabrália me disse que foi afastado por um problema na gestão anterior. Quando eu era conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e rejeitei as contas do Robério, ele prefeito. Tenho que ouvir a defesa deles", acrescentou.

De acordo com Otto, se ficar comprovado que os gestores possuem culpa, medidas serão tomadas. "Se houver conclusões que incriminam, vou reunir o partido. As denúncias existem e qualquer partido pode ter esse tipo de problema. No PSD é a primeira vez. Eles têm uma liderança política forte. Eles, do ponto de vista administrativo, têm boa atuação. Não sabia de nada disso e não me envolvo em nenhuma administração. Posso responder pelos meus atos. Mas isso é doloroso para mim", concluiu.

Notícias relacionadas