Sexta-feira, 24 de setembro de 2021

Política

Indicado por Dilma ao STF se defende de acusação de exercer advogacia privada

Indicado por Dilma ao STF se defende de acusação de exercer advogacia privada

Foto: Divulgação

Por: Juliana Almirante no dia 11 de maio de 2015 às 14:16

Indicado pela presidente Dilma Rousseff (PT) para vaga no Supremo Tribunal Federal (STF), o jurista Luiz Edson Fachin se defendeu, em vídeo publicado na internet, às acusações de que exerceu advocacia privada enquanto era procurador do Paraná, entre 1990 e 2006. O nome de Fachin ainda deve ser aprovado em sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado, marcada para esta semana, e depois pelo plenário da Casa. 

No vídeo, Fachin explica que, quando ele fez o concurso para procurador, uma lei complementar no Paraná permitia a simultaneidade do cargo de procurador com a advocacia privada. "Não houve nenhuma irregularidade no período em que, com honra, eu atuei na condição de procurador do estado do Paraná, no período de 1990 a 2006, quando deixei os quadros da procuradoria", disse.

Indicado por Dilma ao STF se defende de acusação de exercer advogacia privada - Metro 1