Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Presidente do STF diz que Lula não tem tratamento especial

A presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, afirmou hoje que o julgamento do pedido de habeas corpus preventivo de Luiz Inácio Lula da Silva foi suspenso devido à "capacidade física" dos ministros e disse não considerar que o ex-presidente tenha recebido tratamento diferenciado do STF. [Leia mais...]

[Presidente do STF diz que Lula não tem tratamento especial ]
Foto : Wilson Dias/ Agência Brasil

Por Matheus Morais no dia 23 de Março de 2018 ⋅ 12:40

A presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, afirmou hoje que o julgamento do pedido de habeas corpus preventivo de Luiz Inácio Lula da Silva foi suspenso devido à "capacidade física" dos ministros e disse não considerar que o ex-presidente tenha recebido tratamento diferenciado do STF.

A Corte começou ontem a julgar o pedido de um habeas corpus preventivo feito pela defesa a fim de evitar a prisão do petista. Depois de mais de quatro horas, os ministros decidiram suspender a sessão e determinaram que o condenado não poderá ser preso antes do dia 4, quando o julgamento será retomado.

Na segunda-feira (26), o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), que condenou Lula a 12 anos e 1 mês de prisão, julgará o único recurso que questiona a condenação. Em entrevista à rádio Jovem Pan, a ministra afirmou que a sessão não teve continuidade devido à "capacidade física" dos ministros "para que o julgamento seja justo, sereno, tranquilo".

“Era uma circunstância que se impôs diante de um horário e das condições dos juízes para que, se houvesse uma continuidade e se alongassem demasiadamente, isso sobrecarregaria provavelmente com consequências até pela capacidade física, e teria que ter continuidade na próxima sessão para que o julgamento seja justo, sereno, tranquilo, como tem de ser”, falou.

Segundo ela, Lula não pode ser destratado nem ter privilégios, mas merece o tratamento "digno e respeitoso" devido a qualquer cidadão.

Notícias relacionadas