Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Secretário de SP e outros 9 viram réus por trens de R$ 615 milhões sem uso

Nove pessoas se tornaram réus pela Justiça de São Paulo por improbidade administrativa pela compra de 26 trens pelo valor de R$ 615 milhões [Leia mais...]

[Secretário de SP e outros 9 viram réus por trens de R$ 615 milhões sem uso]
Foto : Divulgação / Metrô

Por Luiza Leão no dia 18 de Abril de 2018 ⋅ 15:30

Nove pessoas se tornaram réus pela Justiça de São Paulo por improbidade administrativa pela compra de 26 trens pelo valor de R$ 615 milhões. Os modais ficaram sem uso porque a linha 5-Lilás não estava pronta.

Entre os alvos de acusação estão o presidente do Metrô e cinco ex-presidentes, entre eles o secretário de Transportes Metropolitanos do Estado, Clodoaldo Pelissioni. O Metrô também vai ter que responder na Justiça.

Se tornaram réus:

- Clodoaldo Pelissioni - atual secretário de Transportes Metropolitanos e ex-presidente do Metrô;
- Paulo Menezes de Figueiredo - atual presidente do Metrô;
- Sérgio Avelleda - ex-presidente do Metrô e atual chefe de gabinete da Prefeitura de São Paulo;
- Jorge Fagali - ex-presidente do Metrô;
- Peter Walker - ex-presidente do Metrô;
- Luiz Antonio Pacheco - ex-presidente do Metrô;
- Jurandir Fernandes - ex-secretário de Transportes Metropolitanos;
- Laércio Biazzotti - ex-executivo do Metrô;
- David Turubuk- ex-executivo do Metrô

De acordo com a decisão, expedida pelo juiz Adriano Marcos Laroca, "informações técnicas constantes dos autos, o teste definitivo do trem só poderia ser realizado na própria linha e, mesmo estando os trens parados sem uso em diversos locais, há mais ou menos quatro anos, além de outros desgastes do produto adquirido, e também o serviço de assistência técnica que pode ter sido afetado, exigindo nova contratação".

Notícias relacionadas

[Se Deus quiser vou continuar meu mandato, diz Bolsonaro]
Política

Se Deus quiser vou continuar meu mandato, diz Bolsonaro

Por Juliana Rodrigues no dia 21 de Janeiro de 2021 ⋅ 10:05 em Política

Em conversa com apoiadores, presidente ainda responsabilizou governo do Amazonas e prefeitura de Manaus pelo caos na saúde da capital: "Todo mundo me culpa. Tudo sou eu"