Política

‘Por ser candidato ao Senado, cortaram credenciamento da UTI do meu hospital’, acusa Jorge Vianna

Postulante do MDB disse ainda apostar que opositores serão presos pelas PF após eleição

[‘Por ser candidato ao Senado, cortaram credenciamento da UTI do meu hospital’, acusa Jorge Vianna]
Foto : Tácio Moreira / Metropress

Por Alexandre Galvão / Gabriel Nascimento no dia 24 de Setembro de 2018 ⋅ 09:17

Postulante ao Senado pelo MDB da Bahia, Jorge Vianna disse ser perseguido pelo governo. Em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole, o médico disse que já amarga as consequências da candidatura. 

“Fui contra a ditadura o tempo todo. Só por ser candidato ao Senado, me cortaram o credenciamento da UTI do meu hospital. Estou te chamado atenção, pois as represálias acontecerão”, acusou. 

Para o emedebista, o estado de hoje é “a Bahia da mentira”. “Você tem um governador que vive mentindo. A ponte de Ilhéus está parando porque não tem dinheiro. Fizeram o Hospital do Cacau, fecharam o Hospital Regional. Não tem postos de saúde funcionando. O Hospital do Cacau estava devendo aos médicos cinco meses. O que vai acontecer depois da eleição, vocês se preparem. Essas pesquisas não são verdadeiras”, disse. 

Para o aspirante ao Congresso, o país poderia estar pior se não fosse a atuação Henrique Meirelles (MDB), ex-ministro da Fazenda e candidato à Presidência da República. “Tivemos Meirelles como ministro e, por isso, não estamos como a Argentina. A culpa não foi dele. A culpa foi do que fizeram”, declarou. 

Vianna ainda disse acreditar que todos os opositores serão presos após o pleito eleitoral. “Todos os meus adversários estão respondendo na Polícia Federal e vão ser presos. Wagner vai ter que provar onde estão os R$ 80 milhões da Fonte Nova. Os R$ 6 milhões do relógio de comissão. Ele que assinou o emprego da mulher dele no Tribunal de Justiça sem nem prestar concurso. Ele que assinou a aposentadoria dela, então, a maior vergonha. Se ele for preso, quem vai assumir, quem é o suplente dele? Pergunte às construtoras, presidente de sindicato, respondendo também por ter corrompido funcionários. Se Haddad foi eleito, tem uma outra do PCdoB [Manuela D’Ávila]. Se acontecer alguma coisa com ele, quem assume é o partido comunista, se é isso que você quer…”, ponderou.

Notícias relacionadas