METROPOLE

Sexta-feira, 14 de maio de 2021

Política

TSE suspende propaganda do PT que mostra Bolsonaro favorável à tortura

De acordo com o ministro Luís Felipe Salomão, do TSE, a peça "ultrapassou os limites da razoabilidade e infringiu a legislação eleitoral"

TSE suspende propaganda do PT que mostra Bolsonaro favorável à tortura

Foto: Tânia Rego/Agência Brasil

Por: Matheus Simoni no dia 21 de outubro de 2018 às 08:00

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) suspendeu ontem (20) a propaganda eleitoral de Fernando Haddad (PT) em que o adversário, Jair Bolsonaro (PSL), é apresentado como favorável à tortura. Na peça, o parlamentar aparece em discursos no qual ele demonstra sua admiração do presidenciável por Carlos Alberto Brilhante Ustra, coronel chefe de órgãos de repressão política durante o regime nos anos 70.

De acordo com o ministro Luís Felipe Salomão, do TSE, a peça "ultrapassou os limites da razoabilidade e infringiu a legislação eleitoral". "A distopia simulada na propaganda, considerando o cenário conflituoso de polarização e extremismos observado no momento político atual, pode criar, na opinião pública, estados passionais com potencial para incitar comportamentos violentos", escreveu o magistrado.

A campanha de Haddad utiliza cenas do filme Batismo de Sangue, dirigido por Helvécio Ratton, de 2007, com um personagem nu sendo torturado com choque. Além das imagens, é exibido o depoimento da escritora e militante Maria Amélia de Almeida Teles, conhecida como Amelinha Teles.

No testemunho, ela diz que foi torturada pelo coronel Ustra e que ele levou a filha dela, de cinco anos, para vê-la após uma sessão de sevícia. "O momento de maior dor foi o Ustra levando os meus dois filhos na sala de tortura, onde eu estava nua, vomitada, urinada", disse Amelinha no programa eleitoral.

TV METRO

Entrevistas

Alice Portugal

Em 14 de maio de 2021
ASSINE O CANALMETROPOLE NO YOUTUBE
TSE suspende propaganda do PT que mostra Bolsonaro favorável à tortura - Metro 1