Política

'Todos os líderes de extrema-direita têm um elemento de palhaço, de bufão', diz economista

No entendimento dele, a liderança de Bolsonaro nas pesquisas de intenção de votos é resultado da "raiva e do medo" da população brasileira

['Todos os líderes de extrema-direita têm um elemento de palhaço, de bufão', diz economista]
Foto : Divulgação

Por Alexandre Galvão/Rodrigo Daniel Silva no dia 23 de Outubro de 2018 ⋅ 11:54

O economista Eduardo Giannetti comparou, em entrevista à Rádio Metrópole, a eventual vitória de Jair Bolsonaro (PSL) à ascensão do ditador Adolf Hitler na Alemanha. Para ele, "todos" os líderes de extrema-direita têm um "elemento de palhaço, de bufão".

Segundo ele, a elite alemã apoiou Hitler porque entendia que era o único que conseguiria "barrar os bolcheviques", e agora há um eleitorado que está ao lado de Bolsonaro para impedir o retorno do PT ao governo.

"[A elite] resolveu em nome do projeto apoiar Hitler com a ilusão de que ele seria domesticado. Tudo muito parecido. Os comunistas chamando os social democratas de social fascistas. Foram incapazes de unir a esquerda contra o nazismo. Foram divididos assim como aqui com PSDB e PT", analisou.

No entendimento dele, a liderança de Bolsonaro nas pesquisas de intenção de votos é resultado da "raiva e do medo" da população brasileira. "Chega um momento que não há mais argumento nenhum [para convencer]. É um sentimento bruto. Essa polarização raivosa é perigosa e infelizmente aconteceu aqui. [...] Tenho amigos, queridos, competentes, que minimizam o risco institucional de Bolsonaro. Eu não penso assim, mas torço para que eles estejam certos. ", pontuou.

O economista criticou o fato de o PT e o PSDB não conseguirem governar juntos e ressaltou que os partidos estão "colhendo essa incapacidade de vencer as suas barreiras internas".

Notícias relacionadas