Política

Justiça conclui, após auditoria, que não houve fraude em urnas eletrônicas

A investigação foi feita após acusação do PSL e de eleitores

[Justiça conclui, após auditoria, que não houve fraude em urnas eletrônicas]
Foto :Agência Brasil

Por Lara Ferreira no dia 23 de Outubro de 2018 ⋅ 18:40

As auditorias de urnas eletrônicas, realizadas em cinco estados, na semana passada, após queixas de eleitores, concluíram que não há nenhum indício de fraude no primeiro turno das eleições.
 
A investigação foi feita nos estados do Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, São Paulo e Santa Catarina entre quinta (18) e sábado (20). Justiça Eleitoral alegou, em relatório, que as urnas estavam “em perfeitas condições de uso e funcionamento”, e que “não houve indício de fraude ou defeito”.  
 
A acusação de fraude foi feita por eleitores e pelo PSL, partido do candidato à Presidência, Jair Bolsonaro. Eles alegaram que a foto do candidato não aparecia na urna e que a votação era dada como encerrada, sem que fosse pressionada a tecla “confirma”. 
 
Foram auditadas, no total, 21 urnas. O processo foi acompanhado pelo Ministério Público Eleitoral, a OAB, partidos políticos e peritos da Polícia Federal e do TSE, além de ser aberto ao público.

Notícias relacionadas