Política

PF eleva nível de segurança de Bolsonaro

A equipe de segurança, formada por 55 policiais federais, também atuará na proteção da família do presidente eleito, em sua residência e no gabinete de transição

[PF eleva nível de segurança de Bolsonaro ]
Foto : Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

Por Daniel Brito no dia 29 de Outubro de 2018 ⋅ 22:00

A Polícia Federal escolheu hoje (29) a nova equipe de segurança que irá atuar na proteção do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Neste momento, a proteção ao futuro presidente passa a seguir o protocolo de segurança número 5, designado para chefes de Estado.

De acordo com o Estadão, a equipe de segurança, formada por 55 policiais federais, com possibilidade de aumento caso necessário, também atuará na proteção da família do presidente eleito, em sua residência e no gabinete de transição.

A partir de hoje até a data da posse, no dia 1 de janeiro, Bolsonaro terá na coordenação de sua segurança o delegado Alexandre Ramagem. Já o também delegado Daniel França será o coordenador de ligação entre a PF e a equipe do presidente eleito.

Ramagem autou como titular da investigação que desencadeou a operação Cadeia Velha, deflagrada em novembro de 2017, responsáveis por prender os então deputados estaduais pelo Rio de Janeiro Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi.

França, por sua vez, já integrava a equipe de segurança do presidente eleito e era o coordenador da equipe no dia do atentando sofrido por ele em Juiz de Fora (MG), em setembro.

 

 

Notícias relacionadas

[PSL pede entendimento de Bolsonaro com o partido]
Política

PSL pede entendimento de Bolsonaro com o partido

Por Metro1 no dia 15 de Outubro de 2019 ⋅ 18:44 em Política

Sigla destaca que é a única com 98% de votações favoráveis ao governo federal e que não compactua com eventuais desgastes

[PF montou em um dia operação contra Bivar]
Política

PF montou em um dia operação contra Bivar

Por Alexandre Galvão no dia 15 de Outubro de 2019 ⋅ 11:00 em Política

Além da casa de Bivar no Recife e da sede do partido, estão entre os alvos endereços de três ex-candidatas do PSL