Política

'A agenda econômica de Bolsonaro terá meu apoio', diz Rodrigo Maia

Maia disse ainda que o prefeito de Salvador e presidente do DEM, ACM Neto, precisa conversar com Bolsonaro para decidir se o partido fará parte do governo

['A agenda econômica de Bolsonaro terá meu apoio', diz Rodrigo Maia]
Foto : Lula Marques/AGPT

Por Alexandre Galvão no dia 30 de Outubro de 2018 ⋅ 15:40

Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM) prometeu apoio à agenda econômica do governo de Jair Bolsonaro, segundo O Globo. 

De acordo com a publicação, O deputado fluminense disse ainda que "para ganhar a eleição" uma aliança com Ciro Gomes (PDT) teria sido mais eficaz do que o apoio do Centrão ao tucano Geraldo Alckmin, que terminou na quarta colocação nas eleições.

Maia disse ainda que o prefeito de Salvador e presidente do DEM, ACM Neto, precisa conversar com Bolsonaro para decidir se o partido fará parte do governo. "Quem tem que avaliar isso é o presidente eleito com o presidente do partido (ACM Neto). Repito: a minha opinião é que a agenda que o Bolsonaro propôs através do Paulo Guedes é 100% convergente com aquilo que a gente pensa. Isso temos que apoiar de qualquer jeito".

Maia disse que ainda não sabe se irá concorrer à reeleição para presidência da Casa. "Não decidi ainda. Ninguém é candidato a presidente da Câmara apenas pela sua vontade. É preciso construir as condições. Agora, se perguntar se gosto de ser presidente da Câmara, se é uma posição que te dá prestígio e poder? Sim". 

Notícias relacionadas

[PSL pede entendimento de Bolsonaro com o partido]
Política

PSL pede entendimento de Bolsonaro com o partido

Por Metro1 no dia 15 de Outubro de 2019 ⋅ 18:44 em Política

Sigla destaca que é a única com 98% de votações favoráveis ao governo federal e que não compactua com eventuais desgastes

[PF montou em um dia operação contra Bivar]
Política

PF montou em um dia operação contra Bivar

Por Alexandre Galvão no dia 15 de Outubro de 2019 ⋅ 11:00 em Política

Além da casa de Bivar no Recife e da sede do partido, estão entre os alvos endereços de três ex-candidatas do PSL