Política

Alexandre de Moraes bloqueia redes sociais de investigados por fake news

Na decisão, ministro cita publicação em que general defende Tribunal de Exceção para julgamento dos integrantes do STF

[Alexandre de Moraes bloqueia redes sociais de investigados por fake news]
Foto : Divulgação / TSE / CP

Por Juliana Almirante no dia 16 de Abril de 2019 ⋅ 13:40

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou o bloqueio das redes sociais de sete investigados no inquérito sobre supostas fake news contra os integrantes da Corte. 

O general da reserva Paulo Chagas, o membro da Polícia Civil de Goiás Omar Rocha Fagundes, Isabella Sanches de Sousa Trevisani, Carlos Antonio dos Santos, Erminio Aparecido Nadini, Gustavo de Carvalho e Silva e Sergio Barbosa de Barros são alvo de buscas da Polícia Federal hoje (16). 

Alexandre de Moraes justifica que documentos e informações coletados pela investigação apontam "sérios indícios da prática de crimes". As postagens em redes sociais incluem "graves ofensas a esta Corte e seus integrantes, com conteúdo de ódio e de subversão da ordem".

O ministro destacou que Paulo Chagas já defendeu a criação de um Tribunal de Exceção para julgamento dos ministros do STF ou mesmo para substitui-los.

“Em outra postagem, incita a população a impedir o livre exercício dos Poderes da União, afirmando que ‘O Peru fechou a corte suprema do país. Nós também podemos! Pressão total contra o STF (publicação de 16 de março de 2019)”, cita Moraes.

Notícias relacionadas