Política

'Não é tanto', diz Moema sobre 400 cargos na saúde em Lauro de Freitas

Prefeita de Lauro de Freitas comentou ainda o rompimento com sua ex-vice e deputada estadual, Mirela Macedo (PSD). "Perdeu as estribeiras", disse

['Não é tanto', diz Moema sobre 400 cargos na saúde em Lauro de Freitas]
Foto : Matheus Simoni / Metropress

Por Daniel Brito no dia 22 de Abril de 2019 ⋅ 18:32

A prefeita de Lauro de Freitas, Moema Gramacho (PT), comentou hoje (22) mais uma vez, em entrevista ao Jornal da Cidade Segunda Edição, da Rádio Metrópole, o rompimento feito pela sua ex-vice e deputada estadual, Mirela Macedo (PSD). O episódio foi gerado por conta de uma visita do governador Rui Costa à cidade, sem que ela tivesse sido avisada.

“Ela deu uma dimensão muito grande a uma falta de convite que sequer foi para uma ida que não foi um evento no município. Perdeu as estribeiras. Eu passei 11 dias caladas ouvindo tudo o que foi plantado e noticiado na imprensa, aguardando uma retratação e ela não fez”, lamentou.

Insistentemente questionada sobre as 400 indicações de cargos comissionados feitos por Mirela para a secretaria de saúde do município, a prefeita minimizou a quantidade. “Não é tanto”, disse timidamente. “Obviamente, o partido [PSD] tem as suas indicações, todos têm. Claro, dentro do perfil técnico para o perfil que vão administrar”, completou.

No entanto, mesmo perguntada, a petista não informou sobre uma possível exoneração dos comissionados indicados pela ex-vice-prefeita. “Eu vou fazer uma conversa com os servidores da prefeitura que, por ventura, são filiados ao PSD. Não sou eu que provoquei o rompimento”, defendeu-se.

Ao ser questionada sobre uma possível candidatura à reeleição no ano que vem, Moema se esquivou e preferiu não comentar o assunto. “Não é o momento, porque a lei eleitoral não permite”, alegou.

 

Notícias relacionadas

[Coaf: Cajado diz que votaria contra orientação do PP]
Política

Coaf: Cajado diz que votaria contra orientação do PP

Por Alexandre Galvão no dia 24 de Maio de 2019 ⋅ 15:20 em Política

Cajado chegou ao PP pouco antes da eleição do ano passado. Filiado desde sempre ao DEM, deixou a legenda após o prefeito de Salvador, ACM Neto, desistir de disputar o gov...