Política

Acordo do governo Bolsonaro para recriar ministérios incomoda líderes

Governo sinalizou que prefere um nome do MDB para Integração e há uma acirrada disputa no partido pela vaga

[Acordo do governo Bolsonaro para recriar ministérios incomoda líderes]
Foto : José Cruz/Agencia Brasil

Por Juliana Almirante no dia 09 de Maio de 2019 ⋅ 08:00

A negociação do governo Bolsonaro com a cúpula do Congresso para indicação de políticos para os novos ministérios das Cidades e da Integração Nacional provocou uma divisão no MDB. 

De acordo com o Estadão, mesmo após o presidente ceder aos apelos para recriar as duas pastas e extinguir o Ministério do Desenvolvimento Regional, líderes do Centrão não gostaram de saber que os nomes dos titulares serão escolhidos pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia (RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (AP), ambos do DEM.

O governo sinalizou que prefere um nome do MDB para Integração e há uma acirrada disputa no partido pela vaga. Uma parte da sigla quer emplacar o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), relator da medida provisória sobre a reforma administrativa. 

Outro grupo articula a indicação da senadora Simone Tebet (MS), que renunciou à candidatura para apoiar Alcolumbre na eleição do comando da Casa contra Renan Calheiros (AL). 

Notícias relacionadas