Política

Justiça mantém condenação a Jair Bolsonaro por declaração homofóbica

Presidente disse que filhos não seriam gays porque "eles tiveram uma boa educação"

[Justiça mantém condenação a Jair Bolsonaro por declaração homofóbica]
Foto : Agência Brasil

Por Juliana Almirante no dia 10 de Maio de 2019 ⋅ 08:00

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) manteve uma condenação do presidente Jair Bolsonaro para pagar R$ 150 mil por danos morais depois de declarações homofóbicas.

Em 2011, quando ainda era deputado federal, ele foi questionado sobre o que faria se tivesse um filho gay. O então parlamentar disse que isso não aconteceria porque "eles tiveram uma boa educação". A declaração foi em entrevista ao extinto programa CQC, que era exibido pela TV Bandeirantes.

A ação civil pública contra o presidente foi ajuizada pelo Grupo Diversidade Niterói, Grupo Cabo Free de Conscientização Homossexual e Combate à Homofobia e Grupo Arco-Íris de Conscientização.

O recurso analisado pelo TJ-RJ era um embargo de declaração, que pede esclarecimentos sobre a decisão.

O embargo foi negado porque o tribunal considetou que a condenação era clara. O presidente ainda pode recorrer aos tribunais superiores. 

Assista à declaração de Bolsonaro:

Notícias relacionadas