Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

25 a favor e 13 contra: veja como votaram os baianos na reforma da Previdência

O deputado Bacelar (Podemos) não compareceu ao plenário

[25 a favor e 13 contra: veja como votaram os baianos na reforma da Previdência]
Foto : Arquivo / Agência Câmara

Por Adelia Felix no dia 10 de Julho de 2019 ⋅ 20:38

A aprovação do texto-base da reforma da Previdência (PEC 6/19), na noite desta quarta-feira (10), na Câmara dos Deputados, contou com o apoio de 25 deputados baianos. Na oportunidade, 13 parlamentares da Bahia votaram contra. O deputado Bacelar (Podemos) não compareceu ao plenário. A proposta foi aprovada, em primeiro turno, por 379 votos a 131. Agora, os parlamentares começarão a votar os destaques apresentados à proposta. 


Votaram a favor 
Abílio Santana (PR)
Adolfo Viana (PSDB)
Alex Santana (PDT)
Antonio Brito (PSD)
Arthur Maia (DEM)
Cacá Leão (PP)
Charles Fernandes (PSD)
Carlos Cajado (PP)
Elmar Nascimento (DEM)
Igor Kannário (PHS)
João Carlos Bacelar (PR)
João Roma (PRB)
José Nunes (PSD)
José Rocha (PR)
Leur Lomanto Jr. (DEM)
Márcio Marinho (PRB)
Otto Alencar Filho (PSD)
Pastor Sargento Isidório (Avante)
Paulo Azi (DEM)
Paulo Magalhães (PSD)
Professora Dayane Pimentel (PSL)
Raimundo Costa (PR)
Ronaldo Carletto (PP)
Tito (Avante)
Uldurico Júnior (PROS)

Votaram contra
Afonso Florence (PT)
Alice Portugal (PCdoB)
Daniel Almeida (PCdoB)
Félix Mendonça Jr. (PDT)
Jorge Solla (PT)
Joseildo Ramos (PT)
Lídice da Mata (PSB)
Marcelo Nilo (PSB)
Mário Negromonte Jr. (PP)
Nelson Pelegrino (PT)
Valmir Assunção (PT)
Waldenor Pereira (PT)
Zé Neto (PT)

Notícias relacionadas

[Se Deus quiser vou continuar meu mandato, diz Bolsonaro]
Política

Se Deus quiser vou continuar meu mandato, diz Bolsonaro

Por Juliana Rodrigues no dia 21 de Janeiro de 2021 ⋅ 10:05 em Política

Em conversa com apoiadores, presidente ainda responsabilizou governo do Amazonas e prefeitura de Manaus pelo caos na saúde da capital: "Todo mundo me culpa. Tudo sou eu"