Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Vaza Jato: procuradores teriam convencido Teori Zavascki a manter empreiteiros presos

Teori, então ministro do STF, engavetou habeas corpus após dar aval a prisão domiciliar de executivos da Andrade Gutierrez, monstram mensagens

[Vaza Jato: procuradores teriam convencido Teori Zavascki a manter empreiteiros presos]
Foto : Jose Cruz/Agência Brasil

Por Marcela Vilar no dia 27 de Outubro de 2019 ⋅ 11:00

Novas mensagens divulgadas hoje (27) pelo site The Intercept Brasil, em parceria com a Folha de S.Paulo, mostram que procuradores da Operação Lava Jato convenceram Teori Zavascki, então ministro do Supremo Tribunal Federal, a manter presos dois executivos da empreiteira Andrade Gutierrez. O objetivo seria o de garantir a colaboração da empresa com as investigações sobre corrupção em 2016 por meio de delação premiada. 

O acerto previa que os dois executivos da Gutierrez sairiam da cadeia e ficariam um ano em prisão domiciliar. As mensagens mostram que, com apoio do então juiz e atual ministro da Justiça Sérgio Moro, o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, submeteu a proposta ao ministro Teori Zavascki. Moro teria concordado em revogar as ordens de prisão preventiva que mantinha os executivos atrás das grades.

O ministro deu o aval no dia 4 de fevereiro de 2016, e pediu os nomes dos executivos presos. Com os pedidos de liberdade travados, Moro transferiu os executivos para o regime de prisão domiciliar no dia seguinte. Com isso, os procuradores do caso teriam se organizado para tomar os depoimentos, sem medo de que os delatores fossem soltos e cogitassem abandonar o acordo negociado pela empreiteira.

Notícias relacionadas