Política

'Criaram um fato monstruoso', diz Lorena Brandão após vazamento de áudio sobre a Lei dos Aplicativos

Mensagem foi direcionada a representante de motoristas de aplicativos, conhecido como Átila do Congo

['Criaram um fato monstruoso', diz Lorena Brandão após vazamento de áudio sobre a Lei dos Aplicativos]
Foto : Câmara de Salvador

Por Metro1 no dia 12 de Novembro de 2019 ⋅ 19:25

Vereadora de Salvador, Lorena Brandão (PSC) chamou de falácia a repercussão do áudio vazado sobre a votação dos vetos do prefeito ACM Neto (DEM) a Lei dos Aplicativos, ocorrida na última semana. Segundo a parlamentar, no dia em que o Colégio de Líderes decidiu votar os vetos, apesar de estar na capital baiana, ela se ausentou por causa de uma forte virose. 

“Como diz o presidente Geraldo Júnior, forças ocultas inimigas desta Casa, causadoras de distúrbios e inimizades inventaram usar colegas inocentes para usar uma parcela da minha conversa com um dos representantes da categoria dos aplicativos e espalhar uma mentira para criar uma falácia, uma inverdade, criar um fato monstruoso que desabonasse minha conduta e colocasse em cheque o trabalho duro que tive como relatora da lei dos aplicativos”, disse a vereadora em pronunciamento na sessão ordinária desta terça-feira (12), na Câmara Municipal. 

Lorena acrescentou ainda que não existiu vazamento do Colégio de Líderes. “Nunca quis derrubar os vetos, essa foi mais uma mentira dita. Pelo contrário, o nosso desejo era aprovar os vetos e apresentar aos colegas e a cidade um projeto de lei, simples, mas que sanaria algumas brechas deixadas por eles”, acrescentou. 

Sobre a frase “vamos para cima”, Lorena justifica que a sua fala foi cortada, que foi publicado apenas uma parte de uma extensa conversa que teve com uma das lideranças sobre a união das associações e sindicatos que representam os motoristas por aplicativo. “Eu falo em um áudio anterior que era necessário que eles se unissem, que esquecessem a rivalidade e canalizassem energia e que fossem para cima para compreender o processo”. 

A vereadora, que estava em viagem internacional, segundo ela em busca do acordo de cidades irmãs entre Jerusalém e Salvador durante a reunião do Colégio de Líderes, afirmou que a mesma foi paga com seus próprios recursos e que o resultado desta parceria entre as duas cidades será divulgado em breve.

Notícias relacionadas

[Podemos decide expulsar Marco Feliciano]
Política

Podemos decide expulsar Marco Feliciano

Por Juliana Rodrigues no dia 10 de Dezembro de 2019 ⋅ 10:00 em Política

Em nota, deputado se disse orgulhoso de ter sido expulso da legenda por apoiar Bolsonaro