Política

'Vai parecer eleição do grêmio do Marista', diz pré-candidato da Rede sobre adversários em Salvador 

Magno Lavigne quer se colocar como alternativa e defende necessidade para olhar fora dos eixos centrais da cidade

['Vai parecer eleição do grêmio do Marista', diz pré-candidato da Rede sobre adversários em Salvador ]
Foto : Matheus Simoni/Metropress

Por Juliana Almirante no dia 19 de Novembro de 2019 ⋅ 09:02

Pré-candidato da Rede à prefeitura de Salvador, o presidente da União Geral dos Trabalhadores no Estado da Bahia (UGT-BA) Magno Lavigne, disse hoje (19), em entrevista à Rádio Metrópole, que, ao considerar os nomes já postos para o pleito do próximo ano, a eleição será semelhante a feita para o grêmio estudantil de um colégio particular da cidade.  

Ele ressalta que é preciso olhar para fora do eixo de baixos centrais da cidade, como a Barra. 

"Quando você olha as outras pré-candidaturas, com todo respeito, mas tem gente que vai parecer eleição do grêmio do Marista. Desculpa. A verdade é essa. Qual a vinculação com Pirajá/ Liberdade? É estranho e não se encaixa", declarou, sem citar nomes de adversários.

"Salvador precisa de mais encaixe. Um negócio mais sustentável do ponto de vista da relação. Para romper com esse ciclo da eleição do grêmio do Marista, falo brincando, com respeito aos amigos do Marista, a gente está colocando nosso nome para ajudar nesse debate. Com todos respeitos aos companheiros. Tem candidaturas boas, respeito Olívia e Silvio Humberto", completou.

Magno Lavigne diz que pretende colocar a sua candidatura como uma alternativa aos nomes que serão apoiados pelo prefeito ACM Neto (DEM) e pelo governador Rui Costa (PT)

"Gosto muito e tenho respeito por eles. Neto é um bom prefeito e Rui bom governador, mas parece que relação dos dois é como um jogo de capoeira ensaiado. E nós queremos mexer nas coisas de verdade", defendeu o presidente da UGT-BA.

Notícias relacionadas

[Bolsonaro quer iniciar 2020 com reforma ministerial]
Política

Bolsonaro quer iniciar 2020 com reforma ministerial

Por Juliana Rodrigues no dia 14 de Dezembro de 2019 ⋅ 14:28 em Política

Titulares das pastas da Educação, Casa Civil e Minas e Energia devem ser substituídos, segundo interlocutores do governo