Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

'Está amarrado nos grilhões da escravidão', diz Silvio Humberto sobre presidente da Fundação Palmares

Membro da Comissão de Reparação da Câmara Municipal de Salvador, o edil afirmou que o colegiado vai se pronunciar a respeito do novo ocupante do órgão

['Está amarrado nos grilhões da escravidão', diz Silvio Humberto sobre presidente da Fundação Palmares]
Foto : Matheus Simoni/Metropress

Por Matheus Simoni no dia 02 de Dezembro de 2019 ⋅ 11:00

A nomeação do jornalista Sérgio Nascimento de Camargo para a presidência da Fundação Palmares gerou revolta, principalmente de defensores e ativistas do movimento negro no país. Em Salvador, o vereador Silvio Humberto (PSB), membro da Comissão de Reparação da Câmara Municipal de Salvador, afirmou que o colegiado vai se pronunciar a respeito do novo ocupante do órgão. Segundo ele, Sérgio Camargo não compreende as lutas e as bandeiras defendidas pelo povo negro por estar "envolto e amarrado nos grilhões da escravidão".

"A nomeação só é mais um desatino do atual presidente de forma desrespeitosa como ele vê a questão do racismo no Brasil. E coloca alguém que efetivamente cabe bem dentro da frase 'a maior arma do opressor é a mente do oprimido'. Ele é alguém que está envolto e amarrado nos grilhões da escravidão mental", disse, em entrevista ao Metro1.

"O que temos que fazer é resistir e não aceitar esse desrespeito ao legado que construímos. Ainda não nem conseguimos acabar com o racismo e parece que temos que voltar a fazer tudo de novo", acrescentou. Na Conferência de Autorreforma do PSB que aconteceu no Rio de Janeiro na semana passada, um dos assuntos discutidos foi a polêmica das declarações do recém-nomeado presidente da Fundação Palmares. Uma moção de repúdio foi aprovada aos gritos de “Viva Zumbi, Viva Dandara, Viva a negritude brasileira”.

Notícias relacionadas