Política

'Fui tratado de forma excepcional', diz Gabrielli sobre cassação de aposentadoria

Em entrevista ao Metro1, Gabrielli declarou que a decisão é "absurda"

['Fui tratado de forma excepcional', diz Gabrielli sobre cassação de aposentadoria]
Foto : João Brandão/Metropress

Por Matheus Simoni e João Brandão no dia 16 de Janeiro de 2020 ⋅ 13:30

O ex-presidente da Petrobrás Sérgio Gabrielli (PT) comentou a decisão do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, que deferiu pedido de liminar para restabelecer o pagamento de aposentadoria ao petista. A ação é válida até que o tribunal julgue o mérito do mandado de segurança que discute a aplicação da penalidade. Noronha entendeu que a punição, em princípio, foi "desproporcional".

Em entrevista ao Metro1, Gabrielli declarou que a decisão é "absurda". "O STJ deu início a uma reparação de perseguição política. A cassação de minha aposentadoria do ponto de vista jurídico e de procedimento. Não há crime, foi usurpada minha autonomia universitária. Fui tratado de forma excepcional. Além da liminar, acho que vou ganhar na Justiça a revogação desse ato arbitrário", declarou.

Questionado sobre a campanha do PT pela prefeitura de Salvador, Gabrielli apontou que a legenda está em processo de decisão em torno de um nome para disputar o pleito. "Temos quatro pré-candidatos, os quatro estavam juntos aqui no Bonfim. São nomes de competência para gerir. Eu apoio uma candidata negra, que é Vilma Reis. Eu acho que é a hora de experiência e de uma representante legítima da cidade", comentou o petista. 

Notícias relacionadas