Política

Caso Adriano: Governador diz não cabe a ele dar 'palpite' sobre ação policial

Rui também criticou a demora do governo federal para dar apoio ao Ceará, diante da greve de policiais militares no estado

[Caso Adriano: Governador diz não cabe a ele dar 'palpite' sobre ação policial]
Foto : Manu Dias/ GOV BA

Por Juliana Almirante no dia 23 de Fevereiro de 2020 ⋅ 12:25

O governador Rui Costa evitou detalhar o caso do miliciano Adriano da Nóbrega, morto em operação policial na Bahia, e defendeu que as informações devem ser dadas pela equipe de Segurança Pública do governo.

"O governador da Bahia não detalha atividades criminosas. Tem gente que se preparou e é treinado, que é a atribuição de cada um. Então estão aqui o secretário Maurício (Barbosa) e o comandante Anselmo (Brandão). Pessoas que estudam e se dedicam", disse. 

Rui comparou a situação com a de uma equipe médica que faz uma cirurgia em um hospital público e não deve receber, segundo ele, interferência do chefe do Executivo estadual.

"O governador ficar dando palpite sobre como fazer uma cirurgia ou como fazer uma operação policial não acho que seja uma atitude recomendável, porque ele não se especializou para isso. Estarei sempre de prontidão e atento para defender a Bahia e os baianos de qualquer agressão injusta que seja feita", afirmou.

Rui também criticou a demora do governo federal para dar apoio ao Ceará, diante da greve de policiais militares no estado.

"O que aconteceu no Ceará é gravissimo. O governador levou dois dias pedindo que o governo federal desse uma providência e só no terceiro dia, depois que a sociedade cearense já estava exaurida de tanta violência praticada por elementos que cometiam crimes, independentemente de qual atividade profissional que exercem, só no terceiro dia houve determinação do governo federal", considerou.

Notícias relacionadas