Política

Membros do MPF querem que Aras obrigue Bolsonaro a cumprir isolamento social

Subprocuradores pedem que o PGR leve em conta que o distanciamento de pessoas infectadas tem sido apontado como providência mais eficaz, até agora, para diminuir a propagação do vírus

[Membros do MPF querem que Aras obrigue Bolsonaro a cumprir isolamento social]
Foto : Antonio Augusto / Secom / PGR

Por Matheus Simoni no dia 26 de Março de 2020 ⋅ 08:11

Um grupo de subprocuradores-gerais da República propôs ao procurador-geral da República (PGR), Antônio Augusto Aras, que seja feita uma recomendação formal ao presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) para obrigá-lo a cumprir as normas de isolamento social propostas pela Organização Mundial de Saúde. De acordo com informações do site Congresso em Foco, o grupo, composto por cinco membros, quer a imediata "implementação e execução de ações de saúde, como também a veiculação de pronunciamentos e informações correlatas, por toda e qualquer autoridade do Poder Executivo Federal, seja realizada de forma coerente e em sintonia com as orientações emanadas das autoridades sanitárias nacionais e da Organização Mundial de Saúde”.

Eles pedem a Aras que leve em conta que o distanciamento de pessoas infectadas ou que podem atuar como vetores, assim como o isolamento social, têm sido apontados como providência mais eficaz, até agora, para diminuir a propagação do vírus. Nomeado por Bolsonaro, Aras é o chefe máximo do Ministério Público Federal (MPF), órgão federal que tem, entre outras atribuições, fiscalizar o próprio presidente da República. 

Uma das signatárias do documento é a subprocuradora-geral Deborah Duprat, que Aras retirou do Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH), sob os protestos de organizações da sociedade civil. Também assinam o documento Luiza Cristina Fonseca Frischeisen, Domingos Sávio Dresch da Silveira, Nívio de Freitas Silva Filho e Antônio Carlos Bigonha.

Notícias relacionadas

[Bolsonaro mira artilharia contra Doria e Mandetta no WhatsApp]
PolíticaCORONAVÍRUS

Bolsonaro mira artilharia contra Doria e Mandetta no WhatsApp

Por Matheus Simoni no dia 06 de Abril de 2020 ⋅ 09:19 em Política

'Frenético', presidente passou a compartilhar diversos áudios, vídeos e memes críticos ou irônicos em relação ao ministro e ao governador de São Paulo