Política

Se Bolsonaro não agir, vai haver desobediência civil e povo vai quebrar tudo, diz Caiado

Governador de Goiás rompeu com o presidente na semana passada, após pronunciamento no qual o chefe do Executvio relativizou as medidas restritivas para combater a doença

[Se Bolsonaro não agir, vai haver desobediência civil e povo vai quebrar tudo, diz Caiado]
Foto : Agência Senado

Por Juliana Rodrigues no dia 30 de Março de 2020 ⋅ 09:00

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), afirma que a "urgência urgentíssima" do momento é que o governo Jair Bolsonaro tome medidas para garantir a alimentação das pessoas. Em entrevista à coluna Painel, da Folha, ele disse que é a única forma para conseguir manter os cidadãos em casa e poder prosseguir com o isolamento social para enfrentamento ao coronavírus.

Na visão de Caiado, se nada for feito de forma imediata, vai haver desobediência civil e o povo vai quebrar tudo. "Vamos fazer o atendimento social rápido, urgente, emergencial, ou vamos dar motivação para população promover a desobediência civil para se alimentar e sobreviver", disse.

O governador, que era um dos principais aliados de Bolsonaro, rompeu com o presidente após o pronunciamento no qual o chefe do Executivo nacional relativizou as medidas restritivas para combater a doença e voltou a chamar o vírus de "gripezinha".

Notícias relacionadas