Política

Líder de Rui na AL-BA destinou R$ 137 mil de verba do mandato para rádio de irmã

Segundo o Bahia Notícias, pagamentos são feitos mensalmente e reembolsados pelo Legislativo estadual como gastos de "divulgação do mandato parlamentar"

[Líder de Rui na AL-BA destinou R$ 137 mil de verba do mandato para rádio de irmã]
Foto : Divulgação

Por Metro1 no dia 28 de Maio de 2020 ⋅ 09:33

O deputado estadual Rosemberg Pinto (PT), líder do governador Rui Costa (PT) na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), destinou, nos últimos quatro anos, R$ 137 mil de verba para exercício do seu mandato para a Itapuy FM (105.3), rádio de propriedade da irmã dele, a professora aposentada Rosane Evangelista Pinto. A informação é do Bahia Notícias.

Segundo dados que constam no portal da transparência da Assembleia, os pagamentos são feitos mensalmente em parcelas de R$ 3 mil desde 2016 e reembolsados pelo Legislativo estadual como gastos de "divulgação do mandato parlamentar". Em contato com o Bahia Notícias, o gabinete de Rosemberg não informou quais serviços foram prestados pela rádio familiar e a qual preço.

Na região de Itororó, município no sul do estado onde Rosemberg nasceu e iniciou a vida política, há outra rádio, a Itororó FM (105.9), sem ligação aparente com o deputado, que não recebeu qualquer verba.

Em nota enviada ao Bahia Notícias, a Assembleia explicou que todos os pedidos de reembolso da verba indenizatória são auditados pelo Departamento de Cotas da casa. Os gastos passam por dupla análise antes de terem a recomendação ou não do pagamento.

Após a publicação, o deputado encaminhou nota de resposta ao Metro1. No texto, ele nega a informação que foi colhida no site oficial da Assembleia, confirma o pagamento à empresa que tem a irmã como sócia e classifica o texto como "fake". Confira a resposta do petista: 

obre a matéria publicada pelo site Bahia Notícias: “líder de Rui na AL-BA destinou R$ 137 mil de verba do mandato para rádio de irmã”, considero uma maldade jornalística e esclareço:
.
A destinação do valor mensal para a Rádio Itapuy FM de Itororó é uma contratação para divulgação das minhas atividades parlamentares, tudo dentro do regramento da Assembleia Legislativa, sem nenhum impedimento jurídico.
.
A rádio é uma composição acionária, onde Rosane Pinto é sócia, não podendo ser configurada como rádio familiar. Outro erro na apuração é questionar o porquê não ter contratado a rádio comunitária Itororó FM. Mais uma maldade jornalística, porque, certamente, os jornalistas conhecem a Lei 9.612/98, que não permite esse tipo de contratação em rádio comunitária.
.
Sobre Rosane Pinto não fazer menção à rádio em seus perfis pessoais nas redes, é um direito dela não querer da visibilidade às suas atividades profissionais. Se os dois jornalistas tivessem feito uma melhor apuração, identificaria nos perfis da rádio a relação questionada.
.
Nesses tempos de “Gabinete do Ódio”, de #fakesnews, inclusive a Assembleia Legislativa acaba de aprovar uma lei para combater a disseminação de notícias falsas, o nível de desinformação do texto é altíssimo.
.
E é a partir daí que nascem as fakes news, uma praga criada apenas com o objetivo de destruir reputações de pessoas que, por algum motivo, despertam o ódio em outras".

Notícias relacionadas