Política

Mourão critica Celso de Mello e manifestações contra governo Bolsonaro

Sem citar decano do STF, vice-presidente classificou como "irresponsável e intelectualmente desonesta" a comparação do Brasil com a Alemanha do pós 1ª Guerra

[Mourão critica Celso de Mello e manifestações contra governo Bolsonaro]
Foto : Isac Nóbrega/PR

Por Metro1 no dia 03 de Junho de 2020 ⋅ 10:00

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, classificou como "irresponsável e intelectualmente desonesta" a comparação do Brasil com a Alemanha do pós 1ª Guerra. A fala foi feita pelo ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), que não foi citado por Mourão em artigo publicado hoje (3), no jornal Estado de S. Paulo. Se dirigindo a "um ministro do STF no exercício do cargo", Mourão declarou que “não é admissível que, a título de se contrapor a exageros retóricos impensadamente lançados contra as instituições do Congresso e do Supremo Tribunal Federal, assistamos ações criminosas serem apoiadas por lideranças políticas e incensadas pela imprensa”. 

O vice-presidente criticou ainda as manifestações contra o governo ocorridas no final de semana. Ele apontou que, se a imprensa as definem como "democráticas", “constitui um abuso”. 

Mourão afirma que, lendo jornais e despachos de egrégias autoridades, “tem-se a impressão de que sessentões e setentões nas redações e gabinetes da República resolveram voltar aos seus anos dourados de agitação estudantil, marcados por passeatas de que eventualmente participaram e pelas barricadas em que sonharam estar”.

Para o vice presidente da República, as manifestações foram realizadas por “baderneiros”. Ele transformou todos os protestos nos atos de depredação que ocorreram em Curitiba. E disse que eles são casos de polícia e não de política. Mourão acha que a imprensa erra quando define essas passeatas como democráticas. “Aonde querem chegar? A incendiar as ruas como em 2013?”

Notícias relacionadas