Política

Bolsonarista, Capitão Alden tenta invadir unidade que atende paciente com Covid-19

Ao Metro1, a assessoria do parlamentar disse que ele foi apenas "fiscalizar" e unidade e que não estava armado

[Bolsonarista, Capitão Alden tenta invadir unidade que atende paciente com Covid-19]
Foto : Mateus Pereira/GOVBA

Por Alexandre Galvão no dia 17 de Junho de 2020 ⋅ 12:09

Deputado estadual da Bahia pelo PSL e ligado ao presidente Jair Bolsonaro, Capitão Alden tentou hoje invadir o Hospital Riverside, em Lauro de Freitas. Na unidade estão pacientes com coronavírus. 

De acordo com a Secretaria de Saúde da Bahia, a Polícia Militar foi chamada para conter o parlamentar. Ele não teve contato com nenhuma pessoa com a doença. 

Ao Metro1, a assessoria do parlamentar disse que ele foi apenas "fiscalizar" a unidade e que não estava armado.

Secertário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas lamentou a posição de Alden. "A invasão do Hosp. de Campanha Riverside pelo Deputado PM Capitão Alden, ocorrida hoje, indigna toda a Bahia e traz vergonha ao parlamento e à corporação. Melhor se usasse de suas prerrogativas para ajudar a encontrar soluções para o quadro que vivemos".

No último dia 11, Bolsonaro pediu que apoiadores invadissem unidades hospitalares dedicadas ao combate contra o coronavírus e filmem a ocupação dos leitos. 

"[Se] Tem hospital de campanha perto de você, hospital público, arranja uma maneira de entrar e filmar. Muita gente está fazendo isso e mais gente tem que fazer para mostrar se os leitos estão ocupados ou não. Se os gastos são compatíveis ou não. Isso nos ajuda", disse o presidente.

Veja a nota na íntegra de Alden: 

OBRIGAÇÃO DO DEPUTADO ESTADUAL É FISCALIZAR O GOVERNO DO ESTADO

O deputado estadual Capitão Alden mantém seu posicionamento firme quanto às suas atribuições enquanto representante do Poder Legislativo Estadual. O parlamentar é o único entre os 63 deputados estaduais na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) que tem cumprido todas as funções do cargo, especialmente, a fiscalização dos atos do Poder Executivo Estadual. Graças às investigações feitas por Alden diversos processos de aquisições e pagamentos duvidosos foram denunciados, a exemplo do contrato de 2.8 milhões de reais, a denúncia feita ao Ministério Público (MP) e Tribunal de Contas do Estado (TCE), o que resultou na anulação do referido contrato. “Não irei fechar os olhos para irregularidades e tão pouco utilização do momento de pandemia para gastos exorbitantes com supostas desculpas que são para as unidades de saúde”, pontua Alden.

 

Notícias relacionadas