Política

Após Facebook derrubar contas de aliados, Carlos Bolsonaro fala em novo 'movimento pessoal'

“Estou cagando pra esse lixo de fakenews [sic] e demais narrativas. Precisamos viver e nos respeitar", escreveu o filho do presidente

[Após Facebook derrubar contas de aliados, Carlos Bolsonaro fala em novo 'movimento pessoal' ]
Foto : Renan Olaz/CMRJ

Por Luciana Freire no dia 09 de Julho de 2020 ⋅ 15:20

O vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) anunciou hoje (9) em rede social que poderá viver o que chamou de "novo movimento pessoal". A declaração é feita um dia após o Facebook derrubar perfis falsos ligados a um dos seus aliados no chamado "gabinete do ódio" do Palácio do Planalto.

"Totalmente ciente das consequências e variações. Aos poucos vou me retirando do que sempre explicitamente defendi. Creio que possa ter chegado o momento de um novo movimento pessoal. Estou cagando pra esse lixo de fakenews [sic] e demais narrativas. Precisamos viver e nos respeitar", escreveu Carlos Bolsonaro.

"Ninguém é insubstituível e jamais seria pedante de me colocar nesse patamar! Todos queremos o melhor para o Brasil e que ele vença! Apenas uma escolha pessoal pois todos somos seres humanos! Seguimos! E surpresas virão! Não comemorem, escória!", disse o filho do presidente.

O Facebook derrubou ontem (8) uma rede com 88 contas, páginas e grupos ligados a funcionários dos gabinetes do presidente Jair Bolsonaro e aliados. Entre eles, a conta no Instagram @bolsonaronewsss, que é anônima, foi registrada por Tércio Arnaud Tomaz, assessor especial do presidente.

Tércio é apontado como o líder do chamado "gabinete do ódio", estrutura do Palácio do Planalto que seria usada para mensagens de difamação. A existência deste gabinete foi revelada pelo jornal Folha de S.Paulo ano passado.

Notícias relacionadas

[Governador do Mato Grosso é internado em SP com pneumonia]
Política

Governador do Mato Grosso é internado em SP com pneumonia

Por João Brandão no dia 02 de Agosto de 2020 ⋅ 19:00 em Política

Mauro Mendes começou a se sentir mal após uma reunião de trabalho e então procurou atendimento com o médico que o acompanha desde o transplante de rim