Política

Marcelo Nilo ameaça sair do PSB para evitar ser tratado como 'deputado de sublegenda'

Em entrevista à Rádio Metrópole, deputado queixou-se após ter seu pré-candidato à prefeitura de Poções preterido pela legenda

[Marcelo Nilo ameaça sair do PSB para evitar ser tratado como 'deputado de sublegenda']
Foto : Matheus Simoni / Metropress

Por Juliana Rodrigues no dia 03 de Agosto de 2020 ⋅ 09:19

O deputado federal Marcelo Nilo (PSB-BA) queixou-se, em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole, hoje (3), de problemas internos na legenda da qual faz parte. O partido preteriu o pré-candidato que Nilo apresentou para concorrer à prefeitura de Poções, no interior baiano, a fim de apoiar o vereador Leordino (PSB) e o atual prefeito Leandro Araújo Mascarenhas (PTB), aliado do deputado estadual Sandro Régis (DEM) e do deputado federal e secretário de estado Josias Gomes (PT). Nilo se disse chateado e ameaçou deixar a sigla.

"Solicitei ao partido a indicação em Poções com antecedência e sou o deputado federal mais bem votado do município, tenho um candidato a prefeito competitivo, e o partido decidiu dar a legenda a um prefeito do PTB para atender um vereador que traiu o partido. (...) Fiquei muito chateado, vou recorrer na Executiva Nacional, entrei no partido imaginando que seria tratado no mesmo patamar da deputada Lídice da Mata, mas infelizmente o diretório estadual tem uns cinco ou seis membros, que juntando todos não têm dez votos, e decidiram, na minha visão, um absurdo. É um absurdo você deixar de ter um candidato a prefeito num município do porte de Poções para estar como sublegenda do prefeito, que inclusive não é do nosso campo, está do lado do prefeito [de Salvador] ACM Neto", lamentou.

Nilo ressaltou que não há mágoas pessoais com a deputada federal e atual presidente do PSB, Lídice da Mata, mas criticou o poder de decisão do presidente da Fundação Luís Eduardo Magalhães (FLEM), Rodrigo Hita. O chefe da FLEM, que é sobrinho de Lídice, é um dos partidários do apoio a Leandro Araújo. Nilo avaliou que Hita "não entende de política" e disse que prefere sair do partido a ser tratado como "deputado de sublegenda".

"Quero ser tratado como deputado federal, que já foi presidente da Assembleia, governador interino, foi por duas vezes o deputado mais bem votado da Bahia. Eu tô no partido pra que o partido cresça, não pra atender grupos políticos. Eu sou o mais votado, tenho um candidato competitivo e pedi com antecedência", reclamou.

Notícias relacionadas