Política

Maia diz que estado de calamidade no Brasil não será prorrogado

A medida viabilizaria uma nova prorrogação do auxílio emergencial e a criação do Renda Cidadã

[Maia diz que estado de calamidade no Brasil não será prorrogado]
Foto : Najara Araujo/Câmara dos Deputados

Por Kamille Martinho no dia 17 de Outubro de 2020 ⋅ 18:30

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou hoje (17) que não pretende prorrogar o estado de calamidade no Brasil, declarado em decorrência da pandemia do novo coronavírus e que termina no dia 31 de dezembro.

O decreto que reconhece o estado de calamidade permitiu que a União não cumprisse a meta fiscal prevista para 2020, além de elevar gastos públicos para financiar ações de enfrentamento à crise gerada pela pandemia. Uma parte do congresso vem defendendo a extensão da medida até o início de 2021, o que viabilizaria uma nova prorrogação do auxílio emergencial, pago pelo governo para trabalhadores informais, e a criação do Renda Cidadã, programa que substituiria o Bolsa Família.

Maia afirmou que estender o estado de calamidade passaria a investidores "uma sinalização muito ruim" sobre o compromisso do país com a responsabilidade fiscal.

Notícias relacionadas