Política

Rui critica irresponsabilidade de Bolsonaro e chama presidente de 'irracional'

"Ele [Bolsonaro] tem algum complexo, já tinha ciúme do ex-ministro da Saúde, agora está com ciúme do atual ministro", disse, em entrevista à Rádio Metrópole

[Rui critica irresponsabilidade de Bolsonaro e chama presidente de 'irracional']
Foto : Metropress

Por Matheus Simoni e Juliana Rodrigues no dia 22 de Outubro de 2020 ⋅ 08:31

O governador Rui Costa falou hoje (21), em entrevista a Mário Kertész, na Rádio Metrópole, sobre a polêmica envolvendo o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. O titular da pasta foi desautorizado pelo presidente Jair Bolsonaro menos de 24 horas após anunciar que compraria 46 milhões de doses da vacina CoronaVac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. Rui voltou a demonstrar apoio a Pazuello e classificou a atitude de Bolsonaro, que cancelou o acordo, como uma irresponsabilidade.

"Ele [Pazuello] fez uma reunião com 24 governadores, e é opinião unânime de todos que estavam na reunião, além dos governadores estavam os líderes do Senado, Câmara e Congresso participando da reunião. Após alguns governadores falarem, ele foi enfático e sensato ao adotar a medida racional que qualquer brasileiro ou ser humano adotaria neste momento, e disse que o Ministério da Saúde não faria crivo ou perseguição ideológica ou de origem do país a qualquer vacina.(...) Infelizmente, menos de 24h depois, o presidente mais uma vez dá uma entrevista desastrosa, eu diria irresponsável não só com a saúde pública e com a vida das pessoas. São mais de 150 mil brasileiros que já morreram fruto dessa atitude irresponsável liderada por ele. Irresponsável também com a economia do Brasil. (...) É uma declaração que não corresponde à hipótese nenhuma a condição de um presidente de uma República do tamanho do Brasil", avaliou.

Rui ainda considera que as atitudes de Bolsonaro são irracionais e refletem um "complexo de inferioridade". "É irracional completamente. Esse presidente que, infelizmente, foi eleito pelo sentimento de ódio de parte da população brasileira, está destruindo o país, a economia e a saúde pública. Ele tem algum complexo, já tinha ciúme do ex-ministro da Saúde, agora está com ciúme do atual ministro. Tem um complexo de inferioridade nele. Ele repete na presidência o que ele fez na carreira do Exército. Todos estão lembrados que ele foi expulso ainda como capitão pelas atitudes que tomou quando da carreira do Exército. Agora, no exercício da presidência, desautoriza um general do Exército que exerce o cargo de ministro, independente de ser certa ou não a escolha de colocar um general no ministério da Saúde. (...) É um desastre completo a imagem do Brasil no exterior", pontuou.

Notícias relacionadas