Política

Bolsonaro pede voto para Russomanno em São Paulo e dá apoio tímido a Crivella no Rio

Em transmissão ao vivo nas redes sociais, presidente ainda atacou Manuela D'Ávila (PCdoB), que lidera as pesquisas em Porto Alegre (RS)

[Bolsonaro pede voto para Russomanno em São Paulo e dá apoio tímido a Crivella no Rio]
Foto : Alan Santos/PR

Por Metro1 no dia 30 de Outubro de 2020 ⋅ 08:40

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) declarou ontem (29), em transmissão ao vivo nas redes sociais, apoio explícito a Celso Russomanno (Republicanos), candidato à prefeitura de São Paulo. Ao mesmo tempo, timidamente, defendeu o nome de Marcelo Crivella (Republicanos), que tenta se reeleger no Rio.

"Estamos aqui com CR10, Celso Russomanno, em São Paulo. Eu conheço ele há muito tempo. Foi deputado federal comigo. E eu sou capitão do Exército, né? Ele aqui é tenente R2 da Aeronáutica. Então, um capitão do Brasil e um tenente na prefeitura de São Paulo. Então, Celso Russomanno é minha pedida para São Paulo. Quem não escolheu ainda, [se] puder escolhê-lo, a gente agradece aí", disse Bolsonaro.

Ao abordar a disputa na capital fluminense, Bolsonaro disse que "o Rio de Janeiro sempre é polêmico" e fez uma breve apresentação de Crivella. "Terminando agora, um nome que dá polêmica, porque o Rio de Janeiro sempre é polêmico, né? Estou aqui com o Crivella, está certo? Conheço ele há muito tempo, foi deputado federal comigo, depois foi ser senador, prefeito do Rio de Janeiro, é autor de uma proposta de emenda à Constituição, tem uns 7, 8 anos, que passou a permitir que os militares das Forças Armadas pudessem exercer também a profissão de saúde, né? Fosse médico, enfermeiro, pudesse acumular também. Foi tenente do Exército R2, serviu no batalhão de Barra Mansa, na época", disse o presidente.

Ele ainda atacou Manuela D'Ávila (PCdoB), que lidera as pesquisas na disputa pela prefeitura em Porto Alegre (RS)."Uma candidata do PC do B está lá na frente? Pensa nas consequências. Vejam o que esse partido defende, os problemas que esse partido cria para a família tradicional brasileira", disse.

Notícias relacionadas