Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Saúde

Badaró desmente boato de que ivermectina protege contra coronavírus

Infectologista reforçou necessidade de medidas para ajudar profissionais de saúde que estão na linha de frente na guerra contra Covid-19

[Badaró desmente boato de que ivermectina protege contra coronavírus]
Foto : Metropress

Por Matheus Simoni no dia 29 de Junho de 2020 ⋅ 08:12

O médico infectologista Roberto Badaró voltou a falar sobre o papel da Ivermectina no combate ao coronavírus e confirmou que a droga tem função apenas quando o paciente já está infectado com a doença. Em entrevista a Mário Kertész na Rádio Metrópole hoje (29), após questionamento de um ouvinte, o especialista disse que é necessário cuidados com a automedicação. "A ivermectina não tem papel profilático. Pelo amor de Deus, a droga age bloqueando a protease do vírus. Se você está sem o vírus, você deveria, teoricamente, usar ivermectina a vida toda. Isso é absurdo porque a droga tem seus efeitos adversos e não é para você ficar fazendo a utilização. A ivermectina tem sua utilidade e tem sido usada quando o paciente já está confirmado que tem a infecção pelo coronavírus", comentou. 

Badaró também defendeu medidas mais efetivas contra a propagação do coronavírus entre profissionais de saúde, que estão na linha de frente no enfrentamento da doença. "Agora Salvador está chegando no seu platô. A gente tem tido muitas solicitações de muitos doentes internados. Cada vez mais a gente começa a se preocupar com os profissionais da Saúde", disse o especialista. 

"Um estudo de controle de casos realizado durante a pandemia de SARS em Hong Kong investigou a adesão efetiva impessoal aos EPIs. Luvas, aventais, óculos descartáveis e máscaras. Nenhum dos funcionários que relataram o uso de todas essas medidas contraiu o vírus enquanto todo pessoal infectado havia omitido pelo menos uma dessas medidas. Usar o protocolo correto reduz a 0 o risco", declarou Badaró. 

Notícias relacionadas