Turismo

Prefeitura de Cairu destina tarifa única para obras em Morro de São Paulo

Além da preservação e manutenção do patrimônio cultural existente, pelo menos 16 obras foram realizadas tanto na vila de Morro quanto em outras localidades do município-arquipélago

[Prefeitura de Cairu destina tarifa única para obras em Morro de São Paulo]
Foto : Divulgação

Por Metro1 no dia 13 de Maio de 2019 ⋅ 10:51

A prefeitura de Cairu, onde fica Morro de São Paulo, na Bahia, tem destinado recursos da tarifa por Uso do Patrimônio do Arquipélago (Tupa), no valor de R$ 15, para melhoria dos serviços turísticos e de preservação do patrimônio histórico, cultural e ambiental do Arquipélago de Tinharé. Entre os benefícios oferecidos aos turistas estão 16 obras de infraestrutura após o início da cobrança da tarifa

Além da preservação e manutenção do patrimônio cultural existente, pelo menos 16 obras foram realizadas tanto na vila de Morro quanto em outras localidades do município-arquipélago. Embora seja um pagamento único, a tarifa ajuda a preservar inúmeros aparelhos culturais e de infraestrutura das ilhas do Arquipélago de Tinharé, formado por 36 ilhas que compõem o território de Cairu, no Baixo Sul da Bahia.

Morro de São Paulo, principal indutor do turismo na região com cerca de 200 mil turistas por ano, teve o paisagismo de suas praças principais recuperado, bem como as calçadas e passarelas em sua orla. A Tupa, cobrada aos visitantes, ajuda na preservação do legado histórico da região.

“A cobrança da tarifa serve para preservar e manter riquezas culturais e arquitetônicas da região. Isso estimula o fluxo de turistas e valoriza a autoestima da população nativa”, ressalta Alcídes Bulhões, subprocurador do município de Cairu.

O município-arquipélago de Cairu tem cerca de 18 mil habitantes, mas recebe uma média de 20 mil turistas todo mês. “Recebemos mais que o dobro que nossa população. Então, notamos a necessidade de uma nova modalidade de arrecadação”, justifica o subprocurador.

Na vila de Morro de São Paulo foram realizadas ações como paisagismo e ampliação do deck da Fonte Grande, paisagismo das praças da Amendoeira e Fonte Grande. Também foram feitas a reconstrução do mirante do Farol e recuperação do deck da Segunda Praia, além da sua passarela. O deck e a ponte da Primeira Praia já foram recuperados e em breve será a vez da passarela. 

A tarifa também ajuda na manutenção da Fonte Grande, histórica fonte de pedra construída no ano 1746, pelo então vicerrei do Brasil, André de Melo de Castro. Figuras históricas como o imperador Dom Pedro II chegaram a se banhar na fonte, que foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional (IPHAN) em 1943.

Através do portal Arquipélago de Cairu qualquer pessoa pode acompanhar mensalmente o valor total arrecadado por meio da cobrança, bem como o número de isenções (que compreendem crianças, idosos, gestantes e pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida) e de meias entradas estudantis. O portal é um canal de prestação de contas e transparência da gestão dos recursos recolhidos.

Notícias relacionadas