Vida Alheia

Suposto namorado de Gugu solicita reconhecimento de união estável e partilha de bens

Entre as provas, é dito que o casal compartilhava cartões de crédito e que Thiago Salvático tinha as senhas dos cartões pessoais do apresentador

[Suposto namorado de Gugu solicita reconhecimento de união estável e partilha de bens ]
Foto : Divulgação

Por Metro1 no dia 07 de Maio de 2020 ⋅ 16:10

Suposto namorado de Gugu, o chef de cozinha Thiago Salvático abriu processo na Justiça para reividincar reconhecimento de união estável homoafetiva com o apresentador morto em dezembro do ano passado. Ele almeja, com isso, a partilha dos bens acumulados por Gugu durante o período em que estiveram juntos. 

Na ação, protocolada na 9ª Vara de Família e Sucessões do Foro Central da Comarca de São Paulo, Thiago afirma ter se relacionado com Gugu por mais de sete anos e que levaram uma vida conjugal durante três deles.

De acordo com o site Notícias da TV, o texto do processo, que tem mais de 100 páginas, traz detalhes do relacionamento de ambos, desde o dia em que se conheceram, em novembro de 2011, até a morte de Gugu. Salvático, que mora na Alemanha, esteve no velório do apresentador, realizado em 29 de novembro, em São Paulo.

Foram anexados ao processo comprovantes das inúmeras viagens que fizeram juntos ao redor do mundo. O processo lista mais de 40 destinos como Espanha, Ilhas Maldivas, Dubai, Finlândia, Áustria, África do Sul, México e França. A defesa incluiu ainda trechos de inúmeras conversas que tiveram por meio do aplicativo WhatsApp. Nos textos constam os apelidos carinhosos do casal: "Paxtel" e "Poxinha".

O documento diz que foi numa viagem à Suíça, em novembro de 2016, que o casal definiu o novo status do relacionamento, onde teriam assumido o compromisso de ficarem juntos para sempre e formarem uma família.

Entre as provas a seu favor, é dito que o casal compartilhava cartões de crédito e que Thiago tinha as senhas dos cartões pessoais de Gugu. Além disso, possuíam investimentos em conjunto administrados por ambos. E também cita os aplicativos que compartilhavam, como o Playplus, serviço de streaming da Record.

Além do reconhecimento da união estável homoafetiva e a divisão dos bens adquiridos desde novembro de 2016, a defesa de Salvático pede uma indenização de R$ 100 mil e que os réus (filhos, sobrinhos, irmãos e mãe de Gugu) arquem com as despesas processuais.

Notícias relacionadas