Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Cidade Invisível

Figuras do folclore se misturam a investigação policial em série brasileira da Netflix; Segunda temporada já foi confirmada

[Cidade Invisível]
Foto : Divulgação/Netflix

Por Gabriel Amorim no dia 04 de Março de 2021 ⋅ 08:00

Iara, Cuca, Curupira e Saci. As figuras do folclore brasileiro não são mais exclusividade das histórias infantis e agora são celebridades internacionais. É que elas são peças chave de Cidade Invisível a nova série nacional e original da Netflix. A história é do premiado diretor Carlos Saldanha, conhecido pelas animações Rio e Era do Gelo, mas não se enganem, não tem nada de infantil.

Na trama, acompanhamos Eric, um agente da polícia ambiental carioca, que perde a esposa em um incêndio misterioso e resolve investigar. Durante a investigação ele se depara com  as figuras folclóricas, que saíram dos livros e agora vivem nas ruas do Rio de Janeiro.

A mistura do folclore com uma investigação policial é justamente o que faz de Cidade Invisível uma ótima escolha para aquela maratona do final de semana. Com apenas sete episódios de mais ou menos 40 minutos não dá pra parar até terminar. À medida que a história avança, aquela sensação de não estar entendendo nada vai dando lugar a vontade de confirmar as teorias que surgem na nossa cabeça. A brincadeira de identificar as figuras do folclore em meio à cidade grande é outro acerto. Com menos de um mês da estreia, Cidade Invisível fez barulho e ocupa as primeiras posições do serviço de streaming, não só no Brasil, mas também na França e nos Estados Unidos. 

Transformar as entidades indígenas em personagens, no entanto, gerou polêmica na internet. A série chegou a ser  acusada de apropriação cultural e falta de representatividade. Depois de assistir a tudo, a sensação que fica é que  misturar folclore e cidade grande é também uma maneira de discutir sobre o quanto é importante preservar o ancestral diante do progresso. Só posso dizer que a maratona do final de semana valeu a pena. Sobre o final eu te digo, Você vai querer logo encontrar de novo os seres da floresta. E não deve demorar, a segunda temporada da série já foi confirmada pela Netflix.

Indicações relacionadas

[Big Little Lies: a série perfeita]

Big Little Lies: a série perfeita

Por Nardele Gomes no dia 14 de Abril de 2021 ⋅ 10:53

Se alguém me pedir a indicação de uma série perfeita pra assistir, eu não vou pensar. Essa série é Big Little Lies

[Alma de Cowboy]

Alma de Cowboy

Por Mário Kertész no dia 05 de Abril de 2021 ⋅ 17:41

Movido por uma história de cowboys do asfalto, a obra aborda um drama familiar protagonizado pelos atores Idris Elba e Caleb McLaughlin

[Shtisel]

Shtisel

Por Mário Kertész no dia 30 de Março de 2021 ⋅ 09:35

[A Hora dos Ruminantes]

A Hora dos Ruminantes

Por Juliana Rodrigues no dia 19 de Março de 2021 ⋅ 10:24

De autoria de José J. Veiga, uma das grandes obras do realismo fantástico nacional usa alegorias para falar de política

[Felicidade por um fio]

Felicidade por um fio

Por Cristiele França no dia 08 de Março de 2021 ⋅ 14:00

Sob a direção de Haifaa Al-Mansour, “Felicidade por um fio” permite ao telespectador sentir emoções de uma vida tão próxima, para uns, mas para muitos, tão distante

[Malcolm & Marie]

Malcolm & Marie

Por Matheus Simoni no dia 15 de Fevereiro de 2021 ⋅ 11:46

Romântico ou não, filme liga o alerta para relacionamentos abusivos e mostra como, em uma noite, tudo pode desmoronar

[Dix Pour Cent]

Dix Pour Cent

Por Adele Robichez no dia 09 de Fevereiro de 2021 ⋅ 08:00

Em uma conceituada agência de talentos de Paris, os agentes se desdobram para manter os astros satisfeitos e os lucros constantes após uma crise

[República dos Mentecaptos]

República dos Mentecaptos

Por Mário Kertész no dia 08 de Fevereiro de 2021 ⋅ 12:10

Fernando Vita conta a história do prefeito de "Todavia", uma cidade imaginária localizada no Recôncavo Baiano, que tem como ídolo Antônio Carlos Magalhães