Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Bahia

Lockdown ou não? Rui explica decreto e diz que pode estender medidas na próxima semana

Segundo governador, exceção alcança somente serviços essenciais, como venda de alimentos, hospitais e remédios

[Lockdown ou não? Rui explica decreto e diz que pode estender medidas na próxima semana]
Foto : Elói Corrêa/GOVBA

Por Matheus Simoni no dia 25 de Fevereiro de 2021 ⋅ 14:00

O governador Rui Costa (PT) explicou os detalhes do decreto estadual de impõe restrição de atividades em toda a Bahia neste final de semana. Das 17h de amanhã (25) até as 5h de segunda-feira, somente serviços essenciais estarão disponíveis. O toque de recolher no estado segue funcionando, a começar a partir das 20h. Em entrevista coletiva, Rui disse que não se trata de um fechamento total. "O termo lockdown se refere a 100% das atividades, inclusive local de venda de alimentos. Até discutimos isso, inclusive sábado e domingo, mas optamos por não fazer. Se fechássemos no sábado o local de venda de alimentos, haveria uma corrida hoje e amanhã para lotar o supermercado e pontos de vendas de alimentos. Ao invés de garantir distanciamento social, estaríamos fazendo aglomeração de pessoas e as filas seriam enormes nos mercados. Todo mundo iria achar que faltava alguma coisa para casa, promovendo aglomeração", afirmou o governador. 

De acordo com Rui, somente estão mantidos os serviços como mercado e farmácias, considerados essenciais. "A diferença para o lockdown é porque no lockdown, de fato, até a venda de alimentos é suspensa e a pessoa fica proibida de sair a X metros de sua casa. Isso não será feito, mas será suspensa toda e qualquer atividade que não esteja relacionada à atividade essencial em qualquer horário de sábado a domingo", disse. 

O governador, no entanto, não descartou a adoção de medidas mais severas caso o quadro no estado não mude. "Se a situação piorar até domingo, aí sim poderemos fechar tudo na segunda, terça e quarta. Depende do quadro de demanda das UPAs e nos hospitais", declarou Rui. 

Notícias relacionadas