Quarta-feira, 26 de janeiro de 2022

Bahia

Sob pena de afastamento, servidores baianos têm 15 dias para comprovar ciclo da vacina

Os servidores públicos e militares estaduais, assim como os empregados públicos que, por justa causa, não puderem realizar o procedimento devem justificar-se

Sob pena de afastamento, servidores baianos têm 15 dias para comprovar ciclo da vacina

Foto: Jefferson Peixoto/Secom

Por: Metro1 no dia 27 de novembro de 2021 às 08:15

Os servidores e empregados públicos da Bahia têm 15 dias, a partir deste sábado (27), para comprovar que tomou as duas doses ou a dose única da vacina contra a Covid-19. A Secretaria da Administração (Saeb) publicou, no Diário Oficial do Estado de hoje, a Instrução N° 024/2021, que trata sobre os procedimentos a serem adotados para a comprovação de vacinação dos servidores e empregados públicos estaduais contra a Covid-19.

A Instrução estabelece o prazo o para que os servidores  preencham a autodeclaração, no Portal  RH Bahia e anexem o comprovante da vacina contra a Covid-19. A Instrução é valida para servidores estaduais (civis e militares), integrantes dos órgãos e entidades da administração pública do Poder Executivo estadual, que compõem a administração direta, autárquica e fundacional. 

Todos deverão comprovar a vacinação em primeira, segunda dose ou dose única (dependendo da vacina) e reforço subsequente. No caso dos empregados públicos, as empresas estatais e as fundações estatais de direito privado deverão instituir as normas internas, semelhantes às aplicadas aos servidores públicos, para comprovação de vacinação contra a Covid-19.

Os servidores públicos e militares estaduais, assim como os empregados públicos que, por justa causa, não puderem se submeter à vacinação, deverão anexar, em campo próprio do Portal RH Bahia, relatório médico que ateste as razões impeditivas para o não recebimento da imunização.

"As unidades de Recursos Humanos dos órgãos e entidades do Poder Executivo estadual serão responsáveis pelo monitoramento contínuo do registro das informações vacinais dos servidores. No caso de descumprimento das etapas do cronograma vacinal, servidores deverão ser notificados para que façam o preenchimento da autodeclaração e a anexação do comprovante de imunização, sob pena de afastamento cautelar de suas funções e do respectivo cômputo de falta ao serviço", afirma a Saeb.

Constatada a recusa injustificada do servidor em se submeter à vacinação, explica a pasta, deverá ser instaurado processo administrativo disciplinar pela autoridade competente para apuração de responsabilidade. Os servidores que não preencherem a autodeclaração e não anexarem o comprovante da imunização podem ser enquadrados por violação dos deveres contidos nos incisos III e IV do art. 175 da Lei nº 6.677/1994 (civis), ou no inciso IV do art. 51 da Lei nº 7.990/2001 (militares). 

As prestadoras de serviços e entidades parceiras também deverão realizar a comprovação da vacinação dos seus colaboradores que prestam serviços ao Estado. A documentação comprobatória deve ser apresentada às diretorias gerais ou órgãos correspondentes. O monitoramento contínuo das informações vacinais e a adoção das medidas administrativas cabíveis caberão às referidas diretorias e às Comissões de Monitoramento e Avaliação de cada contrato de gestão.

Sob pena de afastamento, servidores baianos têm 15 dias para comprovar ciclo da vacina - Metro 1