Bahia

Zika vírus: Bahia desenvolve primeiro teste rápido no Brasil

A Fundação Baiana de Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico, Fornecimento e Distribuição de Medicamentos (Bahiafarma), órgão vinculado à Secretaria Estadual da Saúde (Sesab), apresentou nesta terça-feira (31) o teste rápido para detecção de Zika vírus, que teve a aprovação publicada na última segunda-feira (30) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). [Leia mais...]

[Zika vírus: Bahia desenvolve primeiro teste rápido no Brasil]
Foto : Divulgação

Por Jessica Galvão e Stephanie Suerdieck no dia 31 de Maio de 2016 ⋅ 17:15

A Fundação Baiana de Pesquisa Científica e Desenvolvimento Tecnológico, Fornecimento e Distribuição de Medicamentos (Bahiafarma), órgão vinculado à Secretaria Estadual da Saúde (Sesab), apresentou nesta terça-feira (31) o teste rápido para detecção de Zika vírus, que teve a aprovação publicada na última segunda-feira (30) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). 

Desenvolvido em parceria com uma empresa sul-coreana, o teste poderá ser utilizado em todo o país, com o objetivo de ajudar no enfrentamento à doença. "A aplicação do teste rápido para a Zika vem mudar o diagnóstico desta arbovirose. A Zika antes era diagnosticada em laboratórios, através de uma técnica de PCR, além de demorada era muito custosa. A partir de agora, nós poderemos oferecer o diagnóstico em qualquer posto de saúde, no lugar mais distante do país, e em apenas vinte minutos a população terá a resposta se o paciente tem ou não tem zika, ou se ele já teve no passado essa infecção", explicou o Secretário de Saúde do Estado, Fábio Villas Boas.

Segundo Ronaldo Dias, diretor-geral da Bahiafarma, o teste rápido para a Zika é inédito no país e, de acordo com a Sesab, também é o primeiro teste diagnóstico feito sem a participação da Fiocruz. "Cada laboratório buscou a sua alternativa, a Fiocruz está buscando as dela. Nós não temos conhecimento de como os outros processos estão na Anvisa, mas o caráter é inovador e a nova possibilidade de diagnóstico é evidenciado com a possibilidade da publicação desse registro que foi realizado ontem", falou.

Com o registro na Anvisa, o teste já pode começar a ser utilizado. Mas, de acordo com Fábio Villas Boas, ainda serão iniciadas as conversas com o Ministério da Saúde, para que seja estabelecido um protocolo de uso em todo o país. "O Ministério da Saúde deverá anunciar o seu protocolo para a utilização de testes rápidos de acordo com a Política Nacional de Saúde. Esse teste será oferecido ao Sistema Único de Saúde (SUS) de todo o país, em todos os estados, e a partir de então distribuídos aos postos de saúde, as UPAs, e aos hospitais e laboratórios de referências. A previsão é que após a ordem de compra do Ministério da Saúde, nós estejamos entregando o primeiro lote dentro de trinta dias", disse o secretário.

Ainda de acordo com a Sesab, a realização do teste rápido não apenas confirma o diagnóstico de possíveis pacientes, mas também colabora para o mapeamento de ocorrências da doença e facilita ações de combate.

Notícias relacionadas